Economia

Segurança do Porto do Lobito absorve um milhão de dólares

O presidente do Conselho de Administração do Porto do Lobito, Celso Rosas, garantiu à imprensa, que a instituição que dirige fez um investimento de mais de 580 milhões de kwanzas, cerca de 1 milhão e meio de dólares, em equipamentos para salvaguarda da segurança marítima.

14/05/2022  Última atualização 10H05
Aposta e novos equipamentos vai garantir maior eficiência e segurança nas operações © Fotografia por: DR

Falando durante a visita de uma delegação da Guarda Costeira norte-americana às instalações da empresa portuária, na terça-feira, o responsável afirmou que os investimentos incidiram sobre a compra de equipamentos como máquinas de raio X, detectores de metais, de sinalização marítima e portuária, meios de comunicação e outros indispensáveis para o sistema de segurança.

Celso Rosas considerou, ainda, a visita da delegação norte-americana como de transcendental importância para a imagem, o bom nome e o prestígio do Porto do Lobito.

"A delegação da Guarda Costeira dos Estados Unidos efectua uma visita de auditoria para poder, ‘in loco’, constatar como o nosso sistema de segurança funciona, à luz do código de SPS, que estabelece as normas internacionais e que estão em vigor em todos os portos do mundo, cujos países são membros da Organização Internacional Marítima (OIM)”, notou o líder do Porto do Lobito.

"Angola é membro da OIM e, por conseguinte, adoptou as suas convenções e logo o código SPS é aqui implementado”, acrescentou o PCA do Porto do Lobito.

Em relação à visita da delegação norte-americana, Celso Rosas lembrou que os integrantes tiveram a oportunidade de ver o que está a ser implementado com base em medidas de rigoroso acesso, controlo no movimento de pessoas no interior e na  periferia do porto, assim como as mercadorias que passam por este empreendimento portuário.

"De um tempo a esta parte, de facto, temos dado muitas acções de formação para os nossos trabalhadores, primando e priorizando o factor humano naquilo que deve ser o seu bom desempenho. O que eu vos posso assegurar é que temos um porto aberto ao mundo, onde os navios vêm e atracam com segurança marítima e portuária”, afirmou.

O presidente do Porto do Lobito realçou que o facto de os Estados Unidos serem uma potência, o que eleva a interligação estabelecida com aquela troca de experiências. "Foi importante ouvir deles que fazem apreciação do trabalho realizado no âmbito da elaboração de documentos, os planos de medidas de segurança, de impacto ambiental, emergência, contingência, bem como  ver como é que estamos a realizar os nossos simulacros”, enfatizou.

Celso Rosas indicou que a delegação teve a oportunidade de visualizar tudo, para poder aconselhar a perspectiva do Conselho de Administração do Porto do Lobito para melhoria do desempenho. "Daí a nossa abertura para esta cooperação”, reforçou.

Por seu turno, John Robertson, que chefiou a delegação da Guarda Costeira norte-americana, enalteceu a cordialidade e hospitalidade de que foram alvo no Porto do Lobito.

Ainda na terça-feira, o presidente do Conselho de Administração do Porto do Lobito recebeu uma delegação de Setúbal, Portugal, que esteve em Benguela a participar numa Conferência sobre Logística e Transportes, e assim como o embaixador da Holanda em Angola, Tsjerard Hoekstra.

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia