Política

Segurança da África Central em análise no Congo

O Conselho de Ministros da Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC ) reuniu-se, segunda-feira (17), no Centro Internacional de Conferências de Kintele, em Brazzaville, para, entre outros assuntos, trabalhar na preparação da agenda da 20ª Sessão Ordinária da Conferência de Chefes de Estado e de Governo da organização, prevista para a próxima quarta-feira, na capital congolesa.

18/01/2022  Última atualização 08H45
Ministro das Relações Exteriores, Téte António, chefiou a delegação angolana na reunião © Fotografia por: DR
A Sessão Ordinária da Conferência de Chefes de Estado e de Governo da CEEAC visa avaliar as questões de ordem económica, política e de segurança na sub-região, bem como proceder à passagem da Presidência em Exercício da organização, de Denis Sassou N’Guesso, da República do Congo, para  Félix Antoine Tshisekedi, da República Democrática do Congo.
Durante a reunião, o Conselho de Ministros da CEEAC foi informado do relatório das actividades desenvolvidas pelo presidente da Comissão, desde a realização da última Cimeira Ordinária (Julho de 2021) até a presente data, dentre os quais inclui o estado das contribuições referentes a 2021,  bem como a apresentação do Plano de Acção Prioritário (PAP) para 2022.
A sessão do Conselho de Ministros da CEEAC foi orientada por Jean-Claude Gakosso, ministro dos Negócios Estrangeiros da República do Congo e actual presidente do Conselho de Ministros da Comunidade Económica dos Estados da África Central.
Angola esteve representada no encontro por Téte António, ministro das Relações Exteriores, que se fez acompanhar pelo embaixador na República do Congo, Vicente Muanda.
A CEEAC é uma organização de promoção da cooperação económica regional na África Central. Criada em Dezembro de 1981, tem como objectivo alcançar a autonomia colectiva, elevar o padrão de vida da sua população e manter a estabilidade política e económica, através de uma cooperação harmoniosa.
A política da CEEAC inclui um plano para eliminar impostos das alfândegas entre os Estados-membros e estabelecer uma pauta externa comum, consolidar o livre movimento de bens, serviços e pessoas, melhorar a indústria, o transporte e as comunicações, a união dos bancos comerciais, bem como promover a criação de um fundo de desenvolvimento.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política