Sociedade

Sector privado sem ofertas de emprego

Várias empresas do sector privado na Lunda-Sul estão impossibilitadas de satisfazer os pedidos de emprego canalizados pelo Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFOP), em Saurimo, devido à Covid-19.

20/10/2020  Última atualização 13H32
DR

A informação foi avançada ontem, em Saurimo, pelo seu responsável, Rufino Quembo, sublinhando que as empresas alegam falta de liquidez para garantir salários e a manutenção dos fundos. De acordo com o responsável, as empresas justificam que as restrições para conter a propagação da Covid-19 diminuíram, significativamente, a arrecadação de receitas ou obtenção de lucros.

Fez saber que no período em referência foram suspensos 153 contratos de trabalho em várias empresas do sector privado, algumas por encerramento temporário das actividades e outras por incapacidade financeira.

O INEFOP está a trabalhar com as grandes empresas na região, sobretudo ligadas ao sector dos diamantes, para absorção da mão-de-obra local, quando houver disponibilidade de vagas.

Rufino Quembo sugere políticas de incentivo aos empresários do ramo industrial, para instalarem as suas unidades fabris na região.

Em 2019, no primeiro trimestre, 40 jovens foram inseridos no mercado de trabalho, num universo de 3.500 pedidos.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade