Economia

Secretária de Estado prevê recobra da pesca

João Upale | Moçâmedes

Jornalista

A secretária de Estado para as Pescas declarou, ontem, em Moçâmedes, expectativas da recuperação dos índices de captura de pescado no Namibe, afectados pelas alterações climáticas, fenómenos sazonais e os efeitos da pandemia da Covid-19, factores que levaram ao decréscimo da produção naquela província.

10/12/2020  Última atualização 08H00
Alterações climáticas afectam a captura de peixe no Namibe
Esperança Costa, que falava no final de uma jornada de visitas a empresas pesqueiras do Moçâmedes e Tômbwa, declarou que a magnitude do decréscimo de recursos piscatórios associado às alterações climáticas e a factores ligados à pandemia afecta de tal forma a produção, que chega a preocupar da mesma forma responsáveis e operadores do sector.
Apesar disso, logo que os factores temporários, como a pandemia, forem debelados, "teremos uma melhor época de captura do pescado, principalmente no Tômbwa”, disse a secretária de Estado, considerando "muito positiva” a operação das empresas daquela procíncia, principalmente as ligadas à pesca de mariscos, por estarem alinhadas à estratégia do Executivo direccionada para capturas sustentáveis e mais viradas para a exportação.
Esperança Costa manifestou preocupações relacionadas com a competitividade das empresas depois de escutar de representantes do patronato, como na Sicopal Shopping, onde o sócio-gerente, Paulo Sérgio, declarou dificuldades acrescidas causadas pela pandemia e a necessidade de importação de produtos higiosanitários.
A empresa produz de seis a sete mil toneladas de pescado por ano, mas que as dificuldades levaram a que, este ano, fossem produzidas seis mil, abaixo das 7.500 do ano passado. Todo o produto capturado pela empresa vai, primeiro, para o mercado nacional. 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia