Cultura

Sam Mangwana encanta o público

Analtino Santos

Jornalista

O “internacional” Sam Mangwana conseguiu, durante dois dias, “prender”, com o ritmo que o tornou numa referência, quem a assistiu ao “Show do Mês”, na Casa das Artes, no Talatona, em Luanda, onde os principais destaques foram o Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, e o ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Filipe Zau.

27/06/2022  Última atualização 11H24
Músico recordou êxitos e outras canções da rumba congolesa © Fotografia por: DR

Os dois dirigentes assistiram ao primeiro espectáculo do músico, na sexta-feira, e apreciaram alguns temas de sucesso, como "Cantos de Esperança”, "Fatimata”, "Amor de Guatemala”, "Afogné” e "Maria Tebo”, canções inspiradas no convívio com cidadãos de culturas diferentes.

O músico, que se considera "aventureiro cultural”, interpretou, ainda, temas como "Juventude actual”, no qual recordou Manu Di-bango, assim como sucessos da rumba congolesa, cantados por Francó, Tabu Ley Rochereau, Le Grand Kallé e M’bilia Bel.

As canções do artista  Sam Mangwana, com forte carga nacionalista, como "Pátria Querida” e "Galo Negro”, marcaram o concerto, que encerrou com "Tio António”. Outro facto marcante foi Lito Graça como convidado para mostrar a rumba produzida em Angola no tema "Belita Kirikiri”.

A banda Show do Mês que acompanhou o músico nos dois espectáculos foi composta por Mila, Raquel Lisboa e Neide (coros), Berlim, Sankara e Teddy Nsingui (guitarras), Xiko Santos, Yanick e Omar (bateria). A direcção artística esteve sob a responsabilidade de Benny Makanzo, que também actuou nos teclados, enquanto os sopros foram garantidos por Rigoberto (saxofone), Tchinguma (trompete) e Efraim La Trom-ba (trombone).

As duas noites de espectáculo, cujo último aconteceu sábado, foram muito concorridas, com bilhetes esgotados, neste que foi o concerto da nona temporada do projecto "Show do Mês” e o segundo de Sam Mangwana como cabeça de cartaz.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura