Mundo

Ruto promete deportar expatriados se for eleito

O Vice-Presidente e candidato presidencial do Quénia, William Ruto, afirmou, terça-feira, que se for eleito à Chefia do Estado vai deportar cidadãos chineses que se ocupam de trabalhos que poderiam ser feitos por quenianos.

30/06/2022  Última atualização 07H35
William Ruto faz críticas às políticas de Uhuro Kenyatta © Fotografia por: DR

As eleições presidenciais, parlamentares e locais de 9 de Agosto ocorrem quando a maior economia da África Oriental enfrenta dificuldades causadas pela pandemia da Covid-19 e pelo conflito na Ucrânia.

"Deixe os chineses assarem milho e venderem celulares. Vamos deportá-los todos”, disse William Ruto citado pela Efe num fórum económico realizado em Nairobi, sublinhando que "essas actividades são para quenianos”. Ruto, 55 anos, candidata-se para suceder ao Presidente Uhuru Kenyatta, que está inelegível para concorrer a um terceiro mandato. Perante os eleitores, apresenta-se como um defensor das pessoas comuns e "contra as dinastias” que governam o país.

Ruto tem criticado as políticas económicas do Presidente Kenyatta, prometendo cancelar a dívida externa estimada em 70 mil milhões de dólares. A China é o segundo maior credor do Quénia, depois do Banco Mundial e financiou projectos de infra-estrutura, que têm sido acompanhados por um fluxo de trabalhadores chineses.

 Jovens eleitores

O número de jovens registados para votar nas eleições de Agosto, no Quénia, caiu desde a última votação de há cinco anos, anunciou a Comissão Eleitoral apontando para a apatia resultante das "dificuldades económicas” e da "corrupção generalizada” que se faz sentir no país, isto, apesar do número total de pessoas que se inscreveram para votar ter aumentado em mais de 12 por cento, disse a Comissão Independente Eleitoral e de Limites (IEBC), após uma auditoria aos cadernos eleitorais, segundo a Reuters. "O número de jovens inscritos para votar em 2022 é de 39,84 por cento, o que representa um declínio de 5,27 por cento em relação a 2017”, disse wafula Chebukati, presidente da IEBC.

Os menores de 35 anos representam três quartos da população do Quénia de cerca de 50 milhões de pessoas, de acordo com dados do Governo.

As mulheres representam 49 por cento do total de eleitores registados, disse Chebukati. Durante a auditoria, mais de 246 mil eleitores falecidos foram removidos dos cadernos, informou a IEBC. O Quénia realiza eleições presidenciais e parlamentares em 9 de Agosto. A disputa presidencial está focada entre o Vice-Presidente, William Ruto, 55 anos, e Raila Odinga, 77 anos, um político veterano e ex-Primeiro-Ministro.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo