Economia

Rota Luanda-Madrid promete maior intercâmbio

Armando Estrela

O voo inaugural para a ligação Luanda-Madrid-Luanda, da companhia TAAG, regressou esta terça-feira, pelas 6h39 minutos, à capital angolana, depois de concretizar a primeira experiência comercial para cidade espanhola, na segunda-feira, às 16h36, hora de Angola, menos uma hora em relação ao horário espanhol.

29/06/2022  Última atualização 09H44
Passageiros do voo inaugural valorizam a rota por reduzir as escalas e a fadiga que a viagem gerava © Fotografia por: Mar | Edições Novembro

O diretor-adjunto dos Aeroportos Espanhóis e Navegação Aérea (AENA), Luís Cañon, recebeu a comitiva angolana no aeroporto Adolfo Soárez Madrid Barajas, que vai facilitar as ligações aéreas entre Angola e Espanha, num esforço comum que deve atingir 43 países, referencialmente, as ligações com as américas, Ásia e o resto do mundo.

Em cima do negócio está um acordo de Maio de 2022, que permite à espanhola Iberia facilitar as ligações entre Angola e outros países. A Iberia foi das principais companhias que levou pessoas de Angola para outros continentes. 

O voo Luanda-Madrid levou à Espanha alguns em trânsito para Portugal, num total de 183 (incluindo 12 tripulantes). Já no regresso, Madrid-Luanda, foram achados noventa passageiros, incluindo 14 tripulantes e 40 convidados. 

O acordo de code-share e interline permite que passageiros oriundos de Luanda cheguem a Madrid e outras paragens pagando em kwanzas, num único bilhete. Por exemplo, chegar ao Porto (Portugal), Frankfurt, Munique, Dusselford e Berlim (Alemanha), Roma, Milão e Bolonha (Itália), Bruxelas (Bélgica), Londres (Reino Unido) e Barcelona, Sevilla, Valência, Corunha, Vigo, Alicante e Bilbau (Espanha) será de total facilidade, que somente alguns passageiros terão em conta. 

"Esta nova rota (Luanda-Madrid-Luanda) representa a vontade da TAAG em promover uma maior ligação entre África e a Europa. Estamos focados em aumentar a nossa rede de destinos e a fornecer aos nossos clientes o melhor serviço possível”, admitiu o presidente do Conselho Executivo da TAAG, Eduardo Fairen.

De acordo com as campanhas promocionais que a companhia vir a promover, os bilhetes podem ser vendidos a até 600 euros. Rafael da Silva foi um dos contemplados pela pioneira iniciativa para Madrid. "Visitava a minha família por intermédio de outras rotas e, hoje, sinto-me feliz por essa experiência”, disse. Comentou ter já feito pontes com países ou cidades como Etiópia, Dubai e Marrocos.

Moisés Paim Lopes considera a iniciativa de "louvável”, por encurtar distâncias com os que, "normalmente, fazem viagem para Madrid” e considera que "era muito cansativo” fazer escalas.

Note-se que passageiros com destino à Espanha tinham de, anteriormente, passar por Dubai, Etiópia ou Porto), para chegar a Madrid, por intermédio da Iberia, Air France (França) ou TAP (portuguesa). Doravante, 53 países ficam interligados a Angola pela transportadora espanhola.

Juan Amias, um dos espanhóis que acompanham negócios em Angola e na Namíbia, acha ser "importante essa rota, uma vez que teremos investidores em Angola, tal como há angolanos que podem cuidar da saúde na Espanha, ou até mesmo assistir uma partida de futebol”. Para Juan Amias, a possibilidade de interligação com países da África Austral fica mais facilitada, tendo em atenção que Joanesburgo fica distante para escalas.

Para o espanhol que presta trabalhos em Angola e na Namíbia, "é uma maravilha esta ligação”, porque "há quatro anos que esperamos por isso” e "só não sabia que tipo de ligação seria”. O espanhol louvou o esforço que a Embaixada da Espanha em Angola fez, para esse interesse comercial se tornar realidade.

Essa primeira relação comercial entre a TAAG e a Iberia traz muitos motivos de emoção. Um assíduo passageiro confidenciou que adora fazer os seus percursos pelos voos promocionais. Já teve um dissabor, mas os demais contactos foram benefícios variados e não se desligam da intermediária Net. Esse anónimo consegue fintar o comércio da bilheteira e, facilmente, pode comprar bilhetes ao preço de menos de 250 mil kwanzas.

Numa partilha turística estava um casal. Uma das partes, a Ariete Brito, acedeu à conversa, num encontro em que tudo foi pela primeira vez. Provavelmente, terá sido a primeira vez que foi abordada pelo Jornal de Angola. Contudo, de sua alma, diz que era a primeira vez que chegava à Europa, tudo não passava da sua primeira experiên-

cia e felicitava a TAAG por lhe ter garantido um lugar como um dos primeiros passageiros do voo inaugural Luanda-Madrid. Entusiasmada, apenas garantiu que seu destino era a Europa, mesmo que ficasse o tempo necessário em Espanha.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia