Cultura

Romance conquista o Prémio Imprensa

Roque Silva

Jornalista

O romance “A filha do Soba e o trono” é a proposta literária, de Tino Kangolar, que venceu a III edição do Prémio Imprensa Nacional de Literatura.

27/09/2021  Última atualização 07H55
Instituição tem incentivado o gosto pela escrita nos jovens © Fotografia por: DR
O autor vai receber como prémio a publicação da proposta literária e um valor de 500 mil kwanzas.
Este ano, o júri não premiou as categorias de Poesia e Drama (teatro), porém, a organização informou que, doravante, vai passar a premiar, por categoria. Algumas propostas, explicaram, como as da categoria poesia foram reprovadas por incumprimento ao regulamento, enquanto as de drama (teatro) não tiveram nenhuma inscrição.

O coordenador do prémio, Hermenegildo Seca, explicou que houve, em alguns casos, a falta de originalidade, temas cujo conteúdo fossem um contributo para a cultura nacional, com a inclusão de reflexões sobre o quotidiano angolano, assim como o desrespeito das características canónicas dos géneros em concurso.

Na categoria Romance, esclarece, a situação foi diferente, pois muitos dos trabalhos apresentados continham narrativas originais e abordavam aspectos singulares da vida de povos de certas regiões de Angola.

Nesta edição foram submetidas 39 propostas e validadas 31. Desta forma, contou Hermenegildo Seca, esta foi a segunda edição com maior participação desde a instituição do prémio, depois de em 2020 terem sido recepcionadas 70 propostas e em 2019, na estreia, 33 trabalhos, dos quais nenhum foi distinguido. Em 2020 o vencedor foi o autor Onório Kinguary, com "Os heróis que não sabiam voar”.


Compreensão

A falta de candidaturas à categoria Drama é, para Hermenegildo Seca, motivo de preocupação, pois é uma abstinência que remonta desde a II edição, em 2020. De acordo com o coordena-dor do prémio, a produção e realização de espectáculos de teatro em Angola tem sido considerável, motivo pelo qual seria uma mais-valia para os autores buscarem reconhecimento.

O género dramático, continuou, está intrinsecamente associado ao teatro e por isso convidou os autores de peças de teatro a abraçarem o desafio. "Acho que estamos a ser mal compreendidos, desde a edição anterior, quando divulgámos a categoria, porque recebemos algumas tentativas frustradas de romance a fazerem-se passar por drama quando têm mais proximidade com o teatro”, revelou.

Instituído pela Imprensa Nacional com o objectivo de valorizar o talento nacional e promover a divulgação de obras de autores desconhecidos no mercado literário, o prémio é aberto a autores nacionais, e estrangeiros residentes, há pelo menos três anos, com livros escritos mas nunca publicados de forma física ou digital.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura