Sociedade

Riscos climáticos dominam seminário

O Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente e o da Energia e Águas, com o apoio do escritório do UNICEF/Angola, realizaram, de 16 a 18 do corrente mês, um seminário de análise das áreas do sector de Água,

24/11/2021  Última atualização 09H10
© Fotografia por: DR
Saneamento e Higiene, onde, durante a avaliação dos riscos climáticos e ambientais, identificou-se as secas e cheias urbanas como principais ameaças que afectam Angola no contexto actual. 

A análise dos riscos climáticos conclui, também, que as etnias do Sul de Angola são as mais expostas às alterações climáticas, primeiro por viverem em zonas de maior incidência das ameaças e segundo pela forma de vida dependente dos recursos naturais, segundo uma nota de imprensa, chegada, ontem, à nossa Redacção.

A análise de risco mostrou, ainda, que as infra-estruturas de água, saneamento e higiene, tanto nas zonas rurais como urbanas, estão muito expostas às ameaças e não são resilientes. Igualmente, os resultados mostraram que existe um risco alto de dano das infra-estruturas não ligadas à água, como por exemplo estradas, linhas de telecomunicação ou electricidade, que têm grande exposição e sofrem muito em caso de cheias.

O seminário, facilitado por especialistas do Instituto Internacional da Água de Estocolmo, contou com a participação de técnicos dos sectores de Água e Ambiente, representantes dos Gabinetes Provinciais de Ambiente, Gestão de Resíduos e Serviços Comunitários e de Empresas Prestadoras de Serviços de Água e Saneamento. 

Durante o seminário, foram utilizadas metodologias e ferramentas de diagnóstico adaptadas ao contexto angolano, para melhor compreender os principais componentes do quadro favorável ao sector a nível nacional, juntamente com a avaliação dos riscos climáticos.

Os três dias de trabalho serviram para definir as dez principais prioridades para melhorar o desempenho do sector de água e saneamento e assegurar o cumprimento das metas 1 e 2 do Objectivo de Desenvolvimento Sustentável em Angola.

As prioridades definidas no final do seminário servirão como orientação para os principais actores do sector, no processo de elaboração dos diferentes planos nacionais, provinciais e municipais em desenvolvimento.

No final do seminário os participantes assinaram a declaração conjunta, como sinal do compromisso para eliminar os pontos de constrangimento, que condicionam os avanços no sector.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade