Política

Reunião da Troika antecede Cimeira ordinária da SADC

A troika do Órgão de Cooperação Política, Defesa e Segurança da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) reúne hoje, em Lilongwe, Malawi, antecedendo a cimeira de Chefes de Estado e de Governo da organização, prevista para amanhã.

16/08/2021  Última atualização 08H10
Delegação angolana é encabeçada pelo ministro das Relações Exteriores, Téte António © Fotografia por: João Gomes |Edições Novembro
Angola participa na cimeira com uma delegação encabeçada pelo ministro das Relações Exteriores, Téte António. Integram a delegação a secretária de Estado para o Orçamento e Investimento Público, Aia-Eza da Silva, o secretário de Estado para a Área Hospitalar, Leonardo Inocêncio, o director da Direcção África, Médio Oriente e Organizações Regionais do MIREX, Miguel Bembe e o director do Comité Nacional da SADC, Nazaré Salvador.

A troika do Órgão de Cooperação Política, Defesa e Segurança é composto pelos Chefes de Estado do Botswana, Mokgweetsi Masisi, actual presidente, da África do Sul, Cyril Ramaphosa, como futuro líder e do Zimbabwe, Emmerson Mnangagwa, último presidente.
O organismo é responsável pela promoção e segurança na região da SADC. Tem o mandato de orientar e fornecer aos Estados-membros orientações sobre questões que ameacem a paz, a segurança e a estabilidade na região.

Actualmente, a SADC tem uma força conjunta em Moçambique para ajudar aquele país a combater o terrorismo na província de Cabo Delgado. O envio da missão conjunta foi aprovado em Junho, durante a Cimeira extraordinária da organização, que decorreu em Maputo.
Angola participa na missão da SADC em Moçambique com 20 militares, sendo oito oficiais, que integram o comando da Força em Estado de Alerta, dois o Mecanismo de Cooperação regional e dez tripulantes de uma aeronave de projecção aérea  estratégica (cargueiro russo Il-76).


Protocolo sobre mobilidade

Durante a cimeira, que decorre sob o lema "Fortalecer a capacidade de produção face à pandemia da Covid-19, em prol da transformação económica e industrial inclusiva e sustentável”, está prevista a assinatura de alguns protocolos, entre os quais o da mobilidade na região, com a supressão de vistos em passaportes.

O lema visa estimular a implementação do Plano Estratégico Indicativo de Desenvolvimento Regional (RISDP) da SADC 2020-2030, com particular destaque para os pilares de industrialização e de integração dos mercados.
  O Conselho de Ministros da SADC esteve reunido, na sexta-feira e sábado, por videoconferência, a partir de Lilongwe, para tratar dos pormenores da 41ª Cimeira da organização.

Amanhã, o Chefe de Estado do Malawi, Lazarus Chakwera, assume a presidência da SADC, sucedendo ao homólogo de Moçambique, Filipe Nyusi.
Durante a cimeira, serão, igualmente, aferidos os progressos alcançados na promoção e aprofundamento da integração regional, em conformidade com as aspirações da SADC, tal como foram definidas no RISDP 2020-2030 e na "Visão 2050”, que prevêem uma região pacífica, inclusiva, competitiva, industrializada, com um rendimento médio alto, onde todos os cidadãos gozem de bem-estar económico sustentável, de justiça e de liberdade.


Novo secretário executivo

Um dos destaques da 41ª Cimeira da SADC é a despedida da secretária executiva da organização, Stergomena Lawrence Tax, após oito anos de serviço, bem como a tomada de posse de um novo secretário executivo da SADC.
Curiosamente, Tax foi empossada como secretária executiva da SADC durante a 33ª Cimeira da SADC, realizada, em Lilongwe, em Agosto de 2013.

O novo responsável pelo secretariado da organização é confirmado durante a Cimeira. Para o cargo concorreram Faustin Mukela Luanga, da República Democrática do Congo, e Elias Mpedi Magosi, do Botswana.
Ontem, o dia foi reservado à preparação de toda a documentação a ser submetida aos Chefes de Estado e de Governo, que hoje começam a chegar a Lilongwe.

A SADC foi criada a 17 de Agosto de 1992, em Windhoek, Namíbia. Tem a missão de promover o crescimento económico e o desenvolvimento socioeconómico sustentável e equitativo, a boa governação, paz e segurança. Integra 15 Estados-membros, designadamente África do Sul, Angola, Botswana, República Democrática do Congo, Lesotho, Madagáscar, Malawi, Maurícias, Moçambique, Namíbia, eSwatini, Tanzânia, Zâmbia, Zimbabwe e Seychelles.


Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política