Sociedade

Retomadas obras no troço Kibokolo/Alto Zaza

António Capitão | Uíge

Jornalista

As obras de terraplanagem dos 42 quilómetros, no troço entre a regedoria de Kibokolo, há cerca de sete quilómetros da vila de Quimbele, e a sede comunal de Alto Zaza, devem ser retomadas dentro deste mês, depois de um interregno nos trabalhos iniciados no ano passado.

16/09/2021  Última atualização 10H30
© Fotografia por: DR
O administrador municipal de Quimbele, Pedro Cogi Zua, anunciou que o reinício dos trabalhos de terraplanagem naquela estrada secundária é resultado da contratação de uma nova empresa, a China Western Power, que com maior capacidade técnica, financeira e humana, depois de a administração ter decidido rescindir o anterior contrato firmado com a empresa PRIMAR - Engenharia e Consultoria.

Sublinhou que a reabilitação da estrada envolve trabalhos de desmatação, alargamento da placa de circulação, terraplanagem e estancamento de algumas ravinas existentes ao longo do percurso.
Referiu que a nova empresa contratada já começou a mobilizar o seu estaleiro, a transferir para o município o conjunto de máquinas e equipamentos essenciais à realização dos trabalhos de transporte, remoção e compactação de solos, contratação da mão-de-obra local, para que, nos próximos dias, se inicie a empreitada.

A terraplanagem faz parte do conjunto de projectos enquadrados no Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), definidos para o município de Quimbele, no sentido de dar outra dinâmica à vida das populações do Alto Zaza.
A comuna de Alto Zaza possui uma população estimada em 22.665 habitantes, que residem na sede comunal e nas regedorias de Bula Kalonji, Kabaka e Kandundu, que enfrentam muitas dificuldades para se deslocarem à sede municipal, tendo em conta a falta de táxis, devido às más condições em que se encontra a estrada.

O administrador municipal de Quimbele disse que se pretende exercer na região uma governação participativa, em que a população seja tida em conta em todas as acções a serem desenvolvidas, para evitar a implementação de programas, políticas e projectos que os cidadãos não comunguem.

Pedro Cogi Zua sublinhou que a deslocação à comuna do Alto Zaza, marca o início do processo de constatação da situação socioeconómica das três comunas do município, Alto Zaza, Icoca e Cuango.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade