Cultura

“Resiliart Angola” resulta na mostra “Water for Life”

Analtino Santos

Jornalista

Obras de trinta jovens artistas plásticos angolanos que participaram na residência artística, Resiliart Angola, em Luanda, dirigida pela artista Ana Silva, estão patentes ao público até 30 deste mês, na exposição “Water for Life”, aberta sábado, na American Schools Of Angola (ASA), no Condomínio Rosa Linda.

12/10/2021  Última atualização 08H45
Ministro Jomo Fortunato (ao centro) na abertura da exposição © Fotografia por: DR
O evento é uma iniciativa da American Schools Of Angola (ASA), em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) e o Governo de Angola, no âmbito da realização da II Bienal de Angola-Fórum Pan-Africano para a Cultura de Paz.


Vincenzo Fazzino, director do escritório da Unesco em Angola, e Sita  Diekumpuna Sita José, director executivo da II Bienal de Angola, nos seus pronunciamentos destacaram a forma como está a ser implantada o Resiliart em Angola. Diferente de outras realidades na qual prevalece uma discussão teórica, no país está a ser executado na prática, apostando no empoderamento, como foi a residência artística na qual os trinta jovens produziram obras.


Tony da Costa Fernandes, director do Resiliart Angola, afirmou que a iniciativa teve uma frase de lapidar, pois "a era do artesanato terminou”. O diplomata e nacionalista, agora num novo desafio, tem explorado uma outra paixão, a arte,  e está satisfeito pela qualidade das obras apresentadas.
O trabalho resultou do material reciclado e de duas semanas de trabalho intensivo com Ana Silva que desafiou os artistas a saírem das zonas de conforto e aproveitarem peças de fardos e outros objectos estranhos.


Marcos Agostinho, da American Schools of Angola (ASA), principal responsável da iniciativa, realçou ser uma forma de dar sustentabilidade a carreira dos artistas e que não pretende ficar por aqui.  A residência foi completamente assegurada pela American School of Angola (ASA) com todos os materiais necessários à produção e pesquisa, espaço em atelier, alimentação, transporte, bem como todas as formações. As obras produzidas durante as quatro primeiras semanas serão apresentadas durante a II Bienal da Cultura de Paz que acontece na última semana de Novembro deste ano.


Ao acto inaugural da exposição "Water for Life” foi prestigiado pelas presenças de Jomo Fortunato, ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, membros do corpo diplomático, convidados e artistas. Dentre os vários atractivos destaca-se a apresentação musical por uma formação constituída por Nino Jazz, Mário Gomes, o baterista americano Mr. Reed e Afrikkanitha, com alguns temas do seu mais recente disco.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura