Sociedade

Rescova radiografou as valas de drenagem

As principais valas de drenagem, que se encontram obstruídas por falta de limpeza regular, e o mau estado de algumas vias secundárias e terciárias, nos municípios do Cazenga, Cacuaco e Kilamba Kiaxi, em Luanda, foram ontem radiografadas pelo governador Sérgio Luther Rescova durante uma visita de campo. 

20/01/2019  Última atualização 17H00
CEDIDA © Fotografia por: Governador constatou o estado das valas de drenagem

Sérgio Rescova, em companhia de vários directores provinciais, visitou os pontos considerados de risco, com o objectivo de impulsionar os trabalhos de limpeza ao longo das valas de drenagem, por forma a minimizar o impacto negativo das chuvas. A vala de drenagem do Cariango, que se estende do município do Cazenga ao do Kilamba Kiaxi, passando pelos bairros Palanca e Golfe, rua Olímpio Macuéria, Tala-Hady, Madeira, Lagoa da Sucata, Tunga Ngó e  Vala da Agromil, em Cacuaco, mereceram a visita do governador, que no local interagiu com os técnicos envolvidos na empreitada.
Segundo o director do Gabinete de Infra-Estruturas de Luanda, Osvaldo Amaral, a vala de drenagem da Agromil, em Cacuaco, foi submetida a uma mega limpeza que vai permitir, nos próximos dias, à empresa de construção realinhar o seu percurso normal. Osvaldo Amaral lamentou o estado actual das valas de drenagem e disse que a inoperacionalidade das mesmas se deve à falta de limpeza regular e às constantes construções anárquicas ao longo dessas infra-estruturas de saneamento básico.
“Ao longo das valas de drenagem vêem-se elevadas quantidades de resíduos sólidos, entre plásticos e sucatas depositados pelos moradores”, frisou.
Tito Manuel, do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros, referiu que o município de Cacuaco, pela sua densidade populacional e particularidades geográficas, carece de um Quartel dos Bombeiros à altura, para responder com eficácia a todas as calamidades que vierem a ocorrer, em qualquer época do ano.
O membro da Comissão Provincial de Protecção Civil e Bombeiros encorajou a iniciativa do governador provincial de Luanda, apelando aos cidadãos a não construírem em zonas de risco, assim como próximo das linhas de água e em locais com possibilidades de deslizamento de terras.
Ainda em relação a Cacuaco, dada a sua particularidade crítica, o administrador municipal, Augusto José, explicou que o problema da circunscrição tem a ver com o facto de se situar abaixo do nível do mar, que faz com que todas as águas pluviais provenientes de outras zonas de Luanda desaguem em alguns pontos daquela localidade.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade