Sociedade

Registadas 60 mortes por acidentes no país

Um total de 60 pessoas morreu e 309 ficou ferido em consequência de 279 acidentes de viação ocorridos no país ,entre 16 a 22 deste mês, informou o chefe de secção de Rádio e Televisão da Polícia Nacional, inspector-chefe Venâncio Victor.

28/06/2022  Última atualização 09H30
© Fotografia por: Dr

Durante esse período, revelou, foram apreendidas 210 viaturas, 649 motorizadas, 547 cartas de condução, 409 verbetes, 598 livretes, 355 títulos de registo de propriedade e aplicadas 1.839 multas avaliadas em mais seis milhões de kwanzas.

A Polícia Nacional realizou várias acções para manter a ordem e a tranquilidade públicas, que resultou na detenção de 839  suspeitos do cometimento de actos ilícitos e esclareceu 754 crimes.

Das acções operativas realizadas foram apreendidas 57 armas de fogo de diversos calibres, em várias províncias, com destaque para Luanda com 25, Cabinda (8), Bengo (6), Huíla, Zaire e Bié (3).

Foram detidos 508 outros cidadãos como presumíveis autores de diversos crimes, dos quais, 29 por homicídio, 119 por roubo, 171 por furtos, 167 por ofensas à integridade física e 22 por agressões sexuais.

Das acções realizadas para protecção das fronteiras terrestres e marítimas, a corporação deteve 2.945 cidadãos, dos quais, 1.949 congoleses democratas, acompanhados de 645 crianças, 20 namibianos, 10 zambianos, quatro chineses, e 957 cidadãos nacionais, por contrabando de combustível, pesca ilegal, e por contrabando de mercadorias não declaradas.

Pesca ilegal

A Polícia Nacional apresentou este domingo, em Luanda, cinco cidadãos por pesca ilegal com recurso a engenhos explosivos na Baía de Luanda.

O porta-voz da Polícia Nacional, subcomissário Mateus Rodrigues, disse que a detenção resultou da "Operação Kianda", de 21 a 25 desse mês.

Esclareceu que detenção visa combater a pesca realizada com engenhos explosivos, que vem tirando a paz de muitos pescadores e prejudicar o meio ambiente, a fauna e a flora marinhas.

O subcomissário referiu que está em curso uma investigação para a determinação da origem e aquisição dos engenhos.

Considerou essa prática perigosa, porque alguns pescadores são inexperientes no manuseamento de bombas, o que é arriscado para as suas vidas. Mateus Rodrigues destacou também a apreensão de oito embarcações por violação às normas marítimas e das pescas, pelo facto de os marinheiros terem sido encontrados a navegar sem documentação ou caducada, casco trocado, falta de colectes salva-vidas e outros meios.

André da Costa / Edna Mussalo

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade