Política

Refrescamento no Executivo para imprimir novo dinamismo

O Presidente da República, João Lourenço, disse ontem , em Luanda, que o refrescamento no Executivo pretende imprimir outro dinamismo no seu desempenho. "Ao fazermos esse ligeiro refrescamento no Executivo pretendemos, com isso, imprimir um outro dinamismo do desempenho do mesmo", notou João Lourenço, ao conferir posse aos ministros do Interior, Eugénio Laborinho, da Agricultura, António Assis, e os governadores de Cabinda, Marcos Nhunga, e do Cuando Cubango, Júlio Bessa.

27/07/2019  Última atualização 08H00
Santos Pedro © Fotografia por: João Lourenço está convicto de que qualquer um dos empossados dará outro dinamismo nas funções para qual foi nomeado.

O Chefe de Estado espera que os novos ministros e governadores contribuam para a resolução dos problemas do povo. Num breve discurso, no Salão Nobre do Palácio Presidencial, João Lourenço acrescentou estar certo que qualquer um dos empossados está à altura de fazer com que esta pretensão seja, de facto alcançada.

"Conhecemos as vossas capacidades nas funções em que passaram até aqui. Por isso, tenho que desejar-vos muitos êxitos e que contribuam para a resolução dos problemas do povo", disse o Presidente.

Em declarações à imprensa, o novo ministro da Economia e Planeamento, Manuel da Costa, economista que foi Presidente do Conselho de Administração do Banco de Desenvolvimento de Angola (BAD), apontou como prioridade estabilizar e diversificar a economia angolana. Manuel da Costa, que já foi Secretário de Estado do Tesouro e director do Gabinete de Estudos e Relações Económicas do Ministério das Finanças, frisou que "a situação económica e financeira do país não é das melhores", ressaltando que ela "vem registando recessão".

"Há programas que, como o Prodesi (Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações), é preciso assegurar que funcionem. Recentemente foi aprovado o programa de apoio ao crédito e é preciso assegurar que sejam financiados os projetos que podem assegurar a retoma do crescimento económico e a criação de empregos", disse.

Por sua vez, o ministro da Agricultura, António Assis, que já exerceu funções de Presidente do Conselho de Administração do Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas (Inapem), disse que a prioridade é a promoção e desenvolvimento da agricultura familiar. António Assis referiu igualmente na sua lista de prioridades a formação de quadros, indicando a necessidade de um melhor aproveitamento dos alunos que concluam a formação nas escolas, no ramo da ciência agropecuária.

"Queremos que sejam técnicos capazes e que saibam encontrar soluções práticas para problemas pontuais no campo", sublinhou. O novo ministro do Interior, Eugénio Laborinho, prometeu combater o tráfico e os barões da droga pesada no país, mas, também, devolver a segurança à população. “Bons filhos à casa regressam e vou regressar a uma casa que já conheço, mas estou há dois anos sem acompanhar a realidade do Ministério do Interior. Foram 38 anos naquela casa e com humildade e serenidade, a primeira tarefa passa pelo combate à criminalidade e devolver a segurança a população”.

 

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política