Economia

Reformas valorizam kwanza a curto-prazo

O Departamento de Pesquisa Económica do Standard Bank considerou que o progresso nas reformas estruturais em Angola pode fazer o kwanza valorizar-se a curto prazo, abrandando a tendência de depreciação dos últimos meses.

21/11/2020  Última atualização 12H20
Standard Bank considera que o kwanza está subavaliado © Fotografia por: DR
"O progresso nas reformas estruturais dentro do mercado cambial tem o potencial de sustentar alguma estabilidade ou até uma apreciação do kwanza a curto prazo. No médio prazo, a depreciação da moeda poderá ser menos pronunciada”, lê-se na análise às contas públicas angolanas citada pela Lusa.

"Isto é consistente com a nossa visão de que o kwanza está subavaliado, no entanto o ajustamento da taxa de câmbio nominal rumo a um equilíbrio é afectado por uma variedade de factores, incluindo a base de exportações concentrada”, aponta-se ainda nota assinada por Fáusio Mussa, o economista-chefe deste banco africano com o pelouro de Angola e Moçambique.

Segundo a fonte, a cotação da moeda angolana face à moeda norte-americana está oficialmente nos 661,1 kwanzas por dólar, tendo desvalorizado 37,1 por cento desde Janeiro e 34,6 por cento face a Novembro do ano passado, mas o Standard Bank prevê que chegue ao final do ano a 650,2 kwanzas por dólar e 724,7 no final de 2021.

"A combinação do progresso nas reformas estruturais, o alívio da dívida que pode gerar poupanças de mais de seis mil milhões de dólares e o contínuo financiamento do FMI sustentam esta nossa previsão”, conclui o economista-chefe, que também previu uma "saída de recessão em 2022 e possível retorno em 2023 se não houver investimento substancial no sector Petrolífero por causa do fim de vida útil de alguns dos poços.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia