Política

Refinaria do Soyo vai operar com altos padrões de emissão

César Esteves

Jornalista

A Refinaria do Soyo, a ser construída pelo consórcio "Quanten Consortium An-gola", em três anos, na localidade de Matanga, província do Zaire, com a medida Euro 5, a segunda com este padrão em África, pode produzir, numa primeira fase, 250 mil barris-dia, garantindo 16 mil postos de trabalho, anunciou, ontem, o presidente do Conselho de Administração, Segun Thomas.

18/05/2022  Última atualização 10H40
© Fotografia por: DR

O perfil da Refinaria, cujo lançamento da primeira pedra teve lugar na última sexta-feira, está em conformidade com o mais "rigoroso modelo" de emissão, e a obra está orçada em 3 mil milhões e meio de dólares americanos. O presidente do Conselho de Administração da Quanten Consortium Angola explicou que o projecto vai ser edificado em duas fases, cumprindo os critérios técnicos de exploração de gasolina e gasóleo.

Segun Thomas prestou a informação à imprensa no final da audiência com o Presidente da República, João Lourenço, no Palácio Presidencial, à Cidade Alta. O responsável, que se fez acompanhar, no encontro, pelo embaixador dos Estados Unidos em Angola, Tulinabo Mushingi, garantiu que a Refinaria vai arrancar dentro de três anos, isto é, em 2025, e, à medida da sua evolução, pode aumentar o número de barris, cuja capacidade inicial está prevista em 250 mil barris-dia, conforme acima mencionado. 

"Destaco que a Refinaria do Soyo será a única das duas refinarias africanas a conseguir cumprir com este requisito, o padrão Euro 5, em termos de refinação", sublinhou. Segun Thomas disse que o projecto vai ser feito em duas fases, sendo que a primeira tem a ver com a construção e a segunda com a produção.

O PCA da Quanten Consortium Angola deu a conhecer, igualmente, que as duas fases do projecto vão gerar, ao todo, 16 mil postos de trabalho, entre directos e indirectos. No que diz respeito aos produtos refinados, o responsável fez saber que a Refinaria do Soyo, operando em altos padrões de qualidade, vai tratar, em primeira instância, gasolina e gasóleo de ultra baixo conteúdo de enxofre. 

Neste momento, disse, decorrem os trabalhos de limpeza da área e de ordem técnica, a fim de se avançar para a fase de construção, propriamente dita. "Só dentro deste período, compreendido em 3 anos e meio, é que vamos poder começar a pensar na refinação de combustível", frisou Segun Thomas.

A Quanten Consortium Angola-LLC é uma empresa norte-americana, tendo o seu escritório executivo em San José, Califórnia, os escritórios de engenharia em Houston, Texas, e o escritório de operações está localizado em San Nicolas, Aruba.

O grupo de empresas do Quanten Consortium concentra-se, de acordo com informações disponibilizadas pelo seu portal, no desenvolvimento de projectos transformacionais, em países de mercados emergentes, procedendo a intervenções individuais ou em série, que apoiam mudanças profundas e sistémicas com potencial de impacto em larga escala, numa área de grande desafio de desenvolvimento.

O Executivo colocou, entre as suas principais prioridades, a construção de refinarias, como a de Cabinda e a do Soyo, a requalificação da Refinaria de Luanda (todos projectos em curso) e o projecto maior da Refinaria do Lobito, a iniciar tão cedo quanto possível, que vão garantir, ao todo, a refinação de quase 400 mil  barris de petróleo bruto dia, no futuro. A informação foi avançada pelo Chefe de Estado na abertura da 8ª edição do Congresso e Exposição Africana de Petróleo e Gás, CAPE VIII, que decorre em Luanda.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política