Economia

Recuperação de estrada vai facilitar escoamento de produtos de Nharêa

A reabilitação por terraplanagem das vias secundárias e terciárias em curso na Nharêa, Bié, está a viabilizar a circulação de pessoas e o escoamento de produtos daquele município, onde é esperada uma colheita de 30 mil toneladas na Campanha Agrícola 2022-2023, que arranca em Outubro.

25/09/2022  Última atualização 07H14
Área recuperada reduz o tempo de viagem entre a sede da Nharêa e o Dando de três dias para duas horas © Fotografia por: Edições Novembro

Ouvidos pelo Jornal de Angola, automobilistas e produtores do sector da Agro-pecuária destacaram os esforços que as autoridades locais têm vindo a desenvolver na recuperação da malha rodoviária da região, com incidência para as estradas secundárias e terciárias.

As obras já realizadas permitiram encurtar significativamente o tempo de viagem para as comunas de Caieie, Dando e Gamba, onde, ao contrário do que acontecia num passado recente, a circulação automóvel tornou-se mais visível.

Os utentes daquelas rodovias elogiam a iniciativa do Governo Provincial do Bié de reparar estradas no interior da província, esperam "dias melhores” para a produção agrícola e a melhoria do nível de vida das populações nas comunidades rurais.               

Há evidências por enquanto empíricas quanto ao registo que grandes progressos no  escoamento dos produtos agrícolas para os grandes centros de consumo, nos últimos quatro meses, com a reabilitação das estradas que ligam às zonas rurais aos centros urbanos.

O estabelecimento do volume da colheita em 30 mil toneladas, este ano, está relacionado com a reabilitação das vias secundárias, que é percebida pelos produtores como um incentivo, apurou a nossa reportagem junto do director municipal da Agricultura e Pescas, Hélder Huambo, que realçou a expectativa de um aumento substancial da produção face à Campanha Agrícola 2021-2022, situada  em 22  mil toneladas.

Faustino Chipongue, residente na comuna da Gamba, disse acreditar que, com a reabilitação das vias inter-comunais, a produção agrícola local deixará de deteriorar-se tal como acontecia em anos anteriores. "A construção das estradas significa desenvolvimento. Antes perdíamos muita produção por dificuldades de escoamento”, lembrou.

Para Henriqueta Essanjo, com a reabilitação das vias inter-comunais, o Governo está a criar condições necessárias para potenciar os sectores da Agricultura e da  Pecuária no município da Nharêa, que tem potencialidades agrícolas capazes de contribuir para a diversificação da economia.

 

"Completamente diferente”

O regedor municipal da Nharêa, João Katetula, disse à nossa reportagem estar satisfeito com os trabalhos de terraplanagem realizados nas principais vias secundárias  da região, frisando a grande movimentação de pessoas não-residentes a visitarem mais vezes a Nharêa.

"Há muitos anos que os nossos filhos residentes em outros pontos da província e  do país não conseguiam chegar até aqui mas, hoje, com a reabilitação da via, visitam -nos várias vezes e planificam várias acções que podem ajudar a desenvolver a região”, afirmou.

Antigamente a viagem de Nharêa até à comuna do Dando, passando por Caieie, só era possível de camião, durando,  mesmo assim, entre dois a três dias.

"Agora a situação é  completamente diferente: a viagem faz-se, no máximo, em duas horas, o que vai permitir que as localidades atinjam rapidamente os níveis de  crescimento que se pretende”, disse, insistindo que a reabilitação da estrada está a  impulsionar a agricultura, pois os camponeses conseguem adquirir com mais facilidade os meios   indispensáveis à sua actividade.

"A produção da mandioca, milho, ginguba e feijão é satisfatória e, agora que a estrada está a ser reabilitada, os camponeses prometem aumentar os níveis, porque os produtos já não se vão estragar, como acontecia antigamente, por falta de escoamento”, disse João Katetula.

Neste momento, 62  quilómetros do troço rodoviário entre  Nharêa, Caieie e Dando  beneficiaram de reabilitação, ao passo que outros 64  quilómetros, do troço de Nharêa à Gamba, passando pelas missões de Capango e Canhanho até à povoação de Satchissica,  também foram intervencionados no âmbito do Programa Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM).

A administradora da Nhrarêa, Maria Lúcia Chicapa, congratulou-se com as obras já realizadas no município e sublinhou que com estas acções incentivam a população a aumentar a produção de alimentos, "uma vez que, com a estrada melhorada, o escoamento de bens também é maior”.

Maria Lúcia Chicapa notou que o município da Nharêa pretende apostar mais na produção para  melhorar a dieta alimentar das populações e criar um excedente para comercializar noutros pontos da província e do país.

Destacou que o município vai apostar mais na agricultura, garantindo a criação de condições de trabalho para os camponeses organizados em cooperativas e agregados familiares.

A administradora  municipal exortou a população camponesa a aproveitar os solos aráveis existentes e o clima propício para a prática da agricultura, a fim de aumentar os níveis de produção e garantir o auto-sustento das famílias, no quadro do Programa de Combate à Fome e à Pobreza.

Os camponeses da região, entre associados e isolados, encontram inúmeras dificuldades na aquisição de fertilizantes e meios de trabalho para o fomento da agricultura, reconheceu Maria Lúcia Chicapa, que acrescentou que, "urge que todos  nos juntemos a esta causa para contribuir para os rendimentos das famílias e a diversificação da economia, com o objectivo de voltar a produzir café  em grande escala”.


Apelo ao aumento das áreas de cultivo

O director municipal da Agricultura e Pescas do Andulo, Hélder Huambo, apelou aos camponeses locais para aumentarem as  áreas de cultivo, no âmbito da política de diversificação da economia nacional em curso, para que o país deixe de depender exclusivamente do petróleo nas contas do Orçamento Geral do Estado (OGE).

Helder Huambo disse, em declarações ao Jornal de Angola, que a intenção é ultrapassar a produção da última campanha agrícola, em que foram colhidas 22 mil toneladas.

Na presente campanha agrícola , prevê-se a preparação de 28  mil hectares de terras com equipamento mecanizado nas cinco comunas que compõem o município, designadamente, a sede municipal, Caieie, Dando, Gamba e Lubia.

Helder Huambo explicou que os camponeses do município da Nharêa beneficiaram,  até agora, de 15 tractores e alfaias agrícolas, no âmbito de programas do Executivo de apoio às  famílias, fomento à produção local e diversificação da economia.

O director disse que o Governo vai continuar a apoiar as cooperativas e associações de camponeses com iniciativas que propiciem a massificação da agricultura, diversificação da economia, exportações e diminuir as importações

Segundo o director municipal da Agricultura e Pescas, além dos tractores, os camponeses vão beneficiar de  charruas, sementes, instrumentos agrícolas e fertilizantes.

"Temos boas terras para a produção agrícola, que não precisam de correcção. A população trabalha manualmente, mas produz quase tudo. Por isso, afirmamos, sem medo de errar que, quem aqui vier investir, não se vai arrepender”, assegurou o director municipal da Agricultura.

Na Nharêa, foi criado um programa de reconversão das variedades de mandioca, para outras de maior resistência a uma virose que tem afectado as culturas, sobretudo nas comunas da Gamba, Dando e Caieie.


Ajudas institucionais impulsionam produção

Além da viabilização das estradas, o director da Agricultura e Pescas da Nharêa atribuiu o aumento esperado da produção no ano agrícola em vias de iniciar à distribuição de "inputs” agrícolas e à disponibilização de equipamento para ajudar as famílias camponesas na preparação da terra.

O  responsável lembra os camponeses do município da Nharêa que o aumento da produção pode ser proporcional à melhoria da qualidade de vida, além de que pode contribuir para o desenvolvimento socioeconómico da região.

Helder Huambo afirmou, igualmente, que este ano, cerca de duas cooperativas  beneficiaram de financiamento, no âmbito do Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição de Importações (PRODESI), tendo apelado aos camponeses a organizarem-se em associações e cooperativas para serem abrangidos.

Camponeses do município da Nharêa são contemplados na campanha agrícola 2022-2023 com 300   toneladas de fertilizantes, com vista a aumentar as áreas de cultivo e as colheitas.

Além dos fertilizantes, os camponeses vão receber sementes diversas, charruas de tracção animal e outros instrumentos agrícolas, tais como machados, enxadas, catanas e limas, segundo o responsável do sector local da Agricultura.

Na Nharêa, com uma população de 113.675 habitantes, o sector da Agricultura e Pescas  tem registadas 218 grupos de produtores (50  cooperativas, e168 associações de camponeses) e 179 Escolas de campo.


José Chaves |Nharêa

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia