Economia

Recredit recupera 83% do previsto para o ano

A Recredit anunciou esta sexta-feira (8) ter recuperado, até ao fim do terceiro trimestre, 16,44 mil milhões de kwanzas da carteira de crédito malparado adquirido ao BPC, o que representa 83 por cento da meta de recuperação de 19,8 mil milhões estabelecida para o cômputo do ano em curso.

09/10/2021  Última atualização 11H25
© Fotografia por: DR
A informação está inserta no relatório de Balanço da Recuperação publicado no site da  companhia, um documento em que é anunciado um potencial de recuperação de 13 mil milhões de kwanzas adicionais, ao longo do quarto trimestre.
As expectativas para o período entre Outubro e Dezembro estão baseadas em processo em tramitação, envolvendo sete mil milhões de kwanzas em propostas de amortização, 699 milhões em propostas aprovadas e cinco mil milhões em propostas aprovadas com acordos celebrados entre a instituição e devedores.

Segundo a Recredit, nas operações do terceiro trimestre do ano em curso, a companhia manteve os rácios de eficiência na ordem de 8,0 por cento nos custos de recuperação e de 13 por cento na relação entre os custos e os rendimentos.
O valor acumulado da recuperação desde 2020 ascende a 21,37 mil milhões de kwanzas, de acordo com o documento que também dá conta que, no cômputo geral, cerca de 28 por cento dos processos de recuperação de crédito malparado encontra-se em contencioso ou com acção judicial em tribunal e os restantes 72 por cento em negociação.

Segundo a companhia, 71 por cento da carteira de crédito está concentrada nos 20 maiores devedores, que, em geral, pertencem aos sectores da Construção e Comércio.
A Recredit assinou com o Banco de Poupança e Crédito (BPC), em Março de 2020, um contrato de cedência de créditos, obtendo do banco público 80 por cento de uma carteira de malparado avaliada em 951 mil milhões de kwanzas com um desconto de 94 por cento, o que significa que  pagou apenas 57 mil milhões de kwanzas em Obrigações do Tesouro indexadas.

Desde o segundo semestre de 2020, um ano em que a recuperação incidiu sobre cerca de 3,8 mil milhões de kwanzas, a Recredit tem recebido a documentação que suporta os compromissos entre o BPC e os devedores, com o que a Direcção de Recuperação de Créditos da gestora de activos contactou a maioria dos mutuários, sobretudo, os mutuários com saldos mais significativos, com vista a aferir a capacidade de liquidarem os valores em dívida.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia