Economia

Receitas da PRODEL atingem os 6,9 mil milhões de kwanzas em janeiro

Bernardo Capita|Cabinda

Jornalista

A Empresa Pública de Produção de Electricidade (PRODEL) facturou, em Janeiro, 6,9 mil milhões de kwanzas, tendo fornecido 1,4 mil milhões de kilowatts por hora (kwh)de energia.

15/04/2020  Última atualização 07H10
Edições Novembro

Segundo um documento da empresa, o aumento da facturação verificada deveu-se a entrada em operação de novos activos hídricos, térmicos e híbridos. No ano passado, a Prodel teve uma facturação de 57,8 mil milhões de kwanzas, e forneceu 13 mil milhões de kwh. A baixa de consumo do período em análise, deveu-se ao facto de uma maior disponibilidade e oferta de energia eléctrica de fonte hídrica.

Perspectivas

A fonte indica que com vista a melhorar a sua performance, a Prodel perspectiva realizar um conjunto de acções, com destaque para o fornecimento, instalação e comissionamento de turbinas aero-derivativas, no Lubango (Huíla), Ondjiva (Cunene), Luena (Moxico) e em Cabinda.
Prevê ainda a elaboração de processos conducentes à implementação dos centro de controlo de produção, controlo do combustível e instalação de um software para planeamento e controlo da manutenção, bem como a reabilitação da descarga de fundos do aproveitamento hidroeléctrico de Cambambe, no Cuanza-Norte.

Capacidade instalada

A capacidade instalada da Prodel é de 5.437,50 megawatts, sendo que conta com 59 centrais de produção de energia eléctrica em 17 províncias. O parque electroprodutor integra oito hidroeléctricas, 43 centrais térmicas e oito centrais híbridas, distribuídos pelas cinco regiões (Norte, Centro, Sul, Cabinda e Leste).
Tendo em conta os objectivos do Plano de Desenvolvimento Nacional, que prevê atingir uma potência instalada de 6,3 GW em 2022, até agora, a Prodel alcançou 89,46 por cento do previsto.
A evolução do consumo de combustível nos centros electroprodutores em Janeiro de 2020 foi de 43,7 mil milhões de litros, contra 539 milhões registada em 2019.  A baixa de consumo do período em analise, deveu-se ao facto de uma maior disponibilidade e oferta de ener- gia eléctrica de fonte hídrica. Para a produção de energia de origem térmica, a Prodel consome combustíveis (Gasóleo, Jet B e Gás Natural) fornecido pela concessionária Sonangol e subsidiado a 100 por cento pelo Governo.
O sistema eléctrico público caracteriza-se por agregar no parque de produção nacional, centrais hídricas, térmicas e híbridas (turbinas, motores, diesel e centrais fotovoltaicas).

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia