Sociedade

Realojadas centenas famílias no Mayé Mayé

Kílssia Ferreira

Jornalista

Quinhentas e três famílias, que viviam em situação de vulnerabilidade nas proximidades do antigo Mercado Roque Santeiro, começaram a ser realojadas, ontem, no projecto habitacional Mayé Mayé, localizado nos arredores da Centralidade do Sequele, Distrito Urbano de Cacuaco, em Luanda.

14/07/2021  Última atualização 09H10
© Fotografia por: DR
O director nacional de Gestão Fundiária e Habitação do Ministério das Obras Públicas e Ordenamento do Território, Adérito Carlos Mohamed, disse ao Jornal de Angola que o processo de entrega das casas, de tipologia T2 e T3, vai terminar amanhã.

O responsável assegurou que, os novos inquilinos da Centralidade Mayé Mayé terão parte das despesas de água e energia eléctrica subvencionadas, pois os contratos com as entidades fornecedoras não vão ultrapassar aos 17 mil kwanzas, por serem desfavorecidos.

 António Vindel, 63 anos, pai de oito filhos, recebeu quatro casas de tipologia T2. "Esperei por este momento mais de seis anos”, disse à nossa reportagem, visivelmente satisfeito.

Isabel Filipe, antiga peixeira do Mercado do Roque Santeiro, mãe de seis filhos, disse que esperou oito anos pela nova casa. "Finalmente, com o apoio do Executivo, deixei de viver numa zona de risco”,frisou.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade