Economia

Reajustada cobertura de risco de pagamento

O Banco Nacional de Angola (BNA) determinou que o valor de depósito colateral para a cobertura do risco de pagamento da carta de crédito não deve ser superior ao da carta de crédito, convertido para moeda nacional à taxa de câmbio de referência do banco comercial no momento da constituição do colateral.

25/11/2018  Última atualização 06H00
DR

A medida, estabelecida no instrutivo número 14/2018, de 19 de Novembro, do BNA, é aplicada nos casos em que os bancos comerciais decidem, de acordo com a sua avaliação do risco de crédito do cliente, exigir um depósito colateral para a cobertura do risco de pagamento da carta de crédito.
No instrutivo, o BNA estabelece que os depósitos colaterais (regulados neste instrutivo e no aviso nº 4 do Artigo 8º do Aviso 5/2018, de 17 de Julho) devem ser remunerados à taxa de juro em vigor nos bancos comerciais e que a remuneração dos depósitos constituídos no âmbito deste documento, deve ser indexada à LUIBOR, podendo ser deduzida de uma margem comercial.
O instrutivo do BNA resulta da necessidade de salvaguardar os interesses dos consumidores dos serviços financeiros, nos casos em que os bancos comerciais exigem a constituição de colaterais para cobrir o risco de crédito inerente às cartas de crédito.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia