Economia

RDC valoriza as trocas comerciais com Angola

Angola está, ao lado da África do Sul, na origem dos maiores fluxos das receitas aduaneiras e de impostos obtidos pelo comércio transfronteiriço na República Democrática do Congo (RDC), declarou o ministro congolês do Comércio Externo citado, ontem, pela imprensa daquele país.

04/10/2020  Última atualização 19H33
Edições Novembro © Fotografia por: Luvo é preponderante no comércio transfronteiriço com a RDC

As receitas do comércio transfronteiriço não representam mais do que 20 por cento das receita aduaneiras e do Imposto Especial de Consumo, sendo Angola e a África do Sul “os raros países” de proveniência desses fluxos, afirmou Jean-Lucien Bussa.

O ministro declarou que as receitas do comércio fronteiriço são importantes para a RDC, mas os rendimentos aduaneiros mais importantes que a RDC obtém formam-se, principalmente, nas trocas com a Ásia, América e Europa.

As declarações de Jean-Lucien Bussa foram proferidas depois de ter autorizado, em Setembro, a importação de 100 mil toneladas de cimento do Congo Brazzaville, sendo criticado pelas cimenteiras do seu país por estar a “sufocar os operadores económicos nacionais”.

Jean-Lucien Bussa lembrou que tratava-se da derrogação a uma medida de restrição à importação de cimento e clínquer na parte ocidental da República Democrática do Congo.

“Os produtos passaram por Kinshasa e destinavam-se a satisfazer as necessidades de abastecimento do mercado interno da RDC, nomeadamente nas províncias do Equador, Cassai e Oriental”, afirmou o Ministro congolês do Comércio Externo.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia