Mundo

RDC: 11 civis mortos em ataque de milícia comunitária em Ituri

Onze civis morreram num ataque a uma aldeia no nordeste da República Democrática do Congo (RDC) na quinta-feira, revelaram esta sexta-feira (20) especialistas.

20/05/2022  Última atualização 20H38
Ataque na comunitária em Ituri © Fotografia por: DR

"Pelo menos 11 civis foram mortos (quinta-feira) na aldeia Ndungbe", localizada a cerca de 20 quilómetros de Bunia no território de Djugu (Ituri), escreveu na rede social Twitter o ‘think tank’ Barómetro de Segurança do Kivu (KST, na sigla em inglês), suspeitando que os autores do ataque são membros da milícia armada comunitária "Zaire/FPAC" (Frente Popular de Autodefesa no Ituri).

A milícia Zaire/FPAC define-se como um grupo de autodefesa com a "missão" de proteger os membros da comunidade Hema contra ataques da milícia da comunidade rival Lendu, que a Cooperativa para o Desenvolvimento do Congo (Codeco) afirma, por seu lado, defender.

O Codeco é considerado um dos grupos armados mais mortífero, activos há mais de 25 anos no leste da RDC.

"Os ataques dos milicianos do Zaire contra civis aparentam ser uma resposta aos frequentes ataques da Codeco contra outros civis”, declarou Pierre Boisselet, um dos líderes do KST, considerando que existe "risco de comunitarização e radicalização acrescida” da violência nessa região.

Um conflito anterior entre milícias comunitárias causou milhares de mortes entre 1999 e 2003, até à intervenção de uma força europeia, a Operação Artemis, sob comando francês.

Em Maio, cerca de 50 civis foram mortos em ataques atribuídos à Codeco.

Ituri e a província vizinha de Kivu do Norte estão sob estado de sítio desde 06 de Maio de 2021, uma medida que deu plenos poderes ao exército e à polícia para gerir a administração e travar a guerra contra os cerca de cem grupos armados que assolam o leste do país há mais de um quarto de século.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo