Mundo

Ramaphosa fala dos tumultos que fizeram mais 350 mortos

O Presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, defendeu a competência do novo Executivo, após os violentos tumultos que provocaram mais de 350 mortos no KwaZulu-Natal e em Gauteng, o motor da economia do país.

07/09/2021  Última atualização 09H25
© Fotografia por: DR
 Ramaphosa, que falava no Parlamento, nomeou em 05 de Agosto uma dezena de novos ministros para o Governo na-cional, substituindo os titulares das pastas da Defesa, Finanças, Segurança e Saúde, com o objectivo de "melhorar a capacidade do Governo em criar estabilidade e certeza política” no país, após os violentos tumultos e saques em Julho, que provocaram mais de 350 mortos.

 O Presidente adiantou também que o Governo está a prestar "o apoio necessário” às vítimas da violência, sem precisar também detalhes, acrescentando que a expectativa do Executivo sul-africano "é colocar o país na trajectória da recuperação económica”, após os violentos distúrbios fomentados por elementos afectos ao partido no poder, o Congresso Nacional Africano (ANC), do qual Cyril Ramphosa é também presidente.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo