Cultura

Puto Português reverencia David Zé

Manuel Albano

Jornalista

O projecto discográfico “Tugueda”, segundo o autor, faz uma homenagem ao cantor David Zé, falecido a 27 de Maio de 1977.

07/08/2022  Última atualização 14H57
© Fotografia por: Alberto Pedro | Edições Novembro

Puto Português reverencia David Zé com uma versão de "Kalunga Nguma”, tema que tem estado a interpretar na abertura dos seus concertos como forma de prestigiar uma das figuras mais emblemáticas da história da música popular urbana.

Puto Português, a propósito, pronunciou-se nos seguintes termos: "Sou jovem e com o passar do tempo terei a mesma idade dos mais velhos e gostaria de poder ver também a minha música ser valorizada e regravada por outros, num processo natural de passagem de testemunho”.

Referiu que  David Zé e kotas como Dom Caetano e Lulas da Paixão "ajudaram a promover e preservar a identidade cultural angolana, através das suas canções revolucionárias. Convido sempre cantores consagrados que marcaram a geração dos meus progenitores, tios… que, quando abraçaram a carreira musical eu nem sonhava estar nascido”.

Para o autor dos sucessos "Fala” e "Meu Semba” tem sido "uma honra poder partilhar o mesmo palco com cantores que marcaram a história do cancioneiro angolano”.

 

Novos temas

O novo tema de Puto Português, "Me Abraça”, ao estilo kizomba, é uma declaração de amor à mulher amada. Remete-nos a múltiplas interpretações pela profundidade da mensagem de carinho e respeito pelo sexo oposto. É um tema extensivo a todos apaixonados. "Me Abraça” será lançado nas plataformas digitais no próximo 5 de Setembro.

O projecto "Caldo dos Kotas”, cuja segunda edição foi realizada no dia 31 de Julho no espaço cultural "2 Amores”, no Zango I, serviu igualmente para Puto Português dar a conhecer ao vivo um outro tema promocional. Trata-se de "Fimbu”, ao estilo soukous da República Democrática do Congo (RDC), que em português significa chicote. Desde o dia 1 de Julho que este tema foi colocado nas plataformas digitais.

O músico, que nasceu aos 13 de Maio de 1987, assegurou que continuará a viajar por outras realidades musicais africanas, por formas a atingir novos mercados. "Fimbu” é um tema de animação com um ritmo mais focado para a juventude e as pistas de dança.

Durante o espectáculo, de aproximadamente uma hora e meia, o músico fez uma incursão à sua trajectória artística, interpretou temas novos e antigos, com destaque para "Oceano Atlântico”, "Gisa”, "Kina”, "Amigo”, "Mesma Moeda”, "Zebedé” e "Deusa Grega”. Interpretou ainda canções como "Monami”, "Dessa Vez”, "Paciência” e "Te Ver Feliz”. A homenagem à sua mãe, Dona Joana, está estampada no tema "Fala Só”, onde faz um retrato das origens humildes dos progenitores.

Enquanto cantava e interagia com o público, Puto Português soube explorar o espaço adaptado para a ocasião. Teve tempo para interpretar ainda o tema "João António”, de Bonga. E fez-se a famosa "rodada familiar” em palco, numa interacção músicos/público.

Um dos momentos de realce foi quando o músico recordou o início da carreira há 14 anos, no estilo kuduro, no qual se destacou com o parceiro Nacobeta, falecido em 2017. O público aplaudiu vivamente a iniciativa de Puto Português. O seu convidado especial Dom Caetano interpretou os temas "Adeus à Hora da Largada”, "Wejia ki Usokana” e "Vizinho”. O humor também teve os seus minutos garantidos com as piadas instantâneas do humorista Lady em Pó.


Presença honrosa de Dom Caetano

O surgimento e diversificação dos espaços culturais em Luanda tem sido positivo, por permitir que os cantores consigam manter a regularidade de espectáculos como fonte de rendimento. Para Dom Caetano, autor do disco "Esperança Divina”, lançado em 2018, o projecto "Caldo dos Kotas” vai dar visibilidade e permitir alguma estabilidade financeira aos artistas. Dom Caetano fez elogios ao percurso de Puto Português que, segundo disse, tem seguido um caminho sustentado e consistente.  Feliz por poder partilhar o palco com a jovem promessa do Semba, afirmou: "O legado não é uma peça material que se entrega. Puto Português está de parabéns por despertar e estar a receber dos mais velhos o legado. Ele não está à espera que a vida lhe conte uma história. Os jovens precisam partilhar as suas vivências com os adultos com mais tempo de caminhada artística. E deve também acontecer o inverso, dos mais velhos para os jovens”. Dom Caetano pensa que a juventude deve seguir o exemplo de Puto Português e de outros da sua geração que têm feito o mesmo percurso. "A juventude precisa construir a sua própria história”, frisou.

Nota negativa foi o facto do músico Lulas da Paixão,o outro convidado, não ter actuado por ter chegado tarde, quando a continuidade do convívio já estava sob a responsabilidade da casa, num desrespeito para quem pagou bilhete para o ver cantar. Outra observação foi a suposta "sabotagem”, com a vandalização, por pessoas não identificadas, do Posto de Transformação (PT) que fornece electricidade ao espaço "2 Amores” e arredores, momentos antes da entrada em palco da figura de cartaz. 


Baduna homenageado

A organização garantiu ao Jornal de Angola que dentro do projecto "Caldo dos Kotas”, de valorização da música e dos criadores angolanos, serão rendidas homenagens a personalidades ligadas à política, sociedade, cultura e desporto, como forma de reconhecimento dos seus feitos em prol do desenvolvimento do país. Nesta segunda edição a organização homenageou com menção honrosa a antiga vedeta do basquetebol Edmar Monteiro dos Santos Victoriano, também conhecido por "Baduna”. Nascido em 10 de Novembro de 1975, em Luanda, Baduna jogou no Petro Atlético de Luanda e no 1º de Agosto. Ex-jogador da selecção nacional, competiu pelo país nos Jogos Olímpicos de Verão de 1996, 2000 e 2004, bem como no Campeonato do Mundo de 2002. A sua carreira foi interrompida em 2006 devido a uma lesão. Os seus irmãos mais velhos, Ângelo e Puna Victoriano, também foram basquetebolistas, com carreiras notáveis no basquetebol nacional e internacional.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura