Economia

Provedores de divisas com “oferta crescente”

Cristóvão Neto

Jornalista

A oferta de divisas “evolui de forma contínua e crescente” com os principais provedores de moeda estrangeira à economia nacional, as operadoras do sector petrolífero, diamantíferas e Tesouro Nacional, no desfecho de um processo que levou o BNA a deixar esse papel.

29/07/2021  Última atualização 07H00
© Fotografia por: DR
A informação foi obtida da directora do Departamento de Mercados Activos do BNA, Tânia Mendes, ao comentar essa evolução do mercado cambial inicialmente referida há uma semana pelo vice-governador Tiago Dias.

A directora explicou o potencial da oferta dos principais intervenientes na oferta de divisas, com estatísticas que indicam que, em Junho, as operações do mercado cambial situaram-se em 600 milhões de dólares, em que 63 por cento das provisões provinham do Tesouro Nacional, 35 por cento do sector petrolífero, 6,0 por cento do diamantífero e igual percentagem do mercado interbancário. 

Lembrou que o Tesouro Nacional transaccionou pela primeira vez na plataforma Bloomberg FXGO, adoptada pelo BNA para garantir transparência no mercado cambial, no dia 7 de Agosto do ano passado, quando também foi anunciada ao mercado a adesão do Tesouro enquanto participante da plataforma.
 
Percurso das reformas

Tânia Mendes afirmou que a ascensão dos três sectores a principais provedores de moeda estrangeira ocorreu em resultado de um processo de reformas estruturais e normativas do mercado cambial que, no domínio da oferta, centraram-se, primeiro, na publicação do Instrutivo 2/2020, de 30 de Março, através do qual foram definidos os procedimentos para a venda de moeda estrangeira por sociedades do sector petrolífero e as operações cambiais no mercado interbancário.

Com essa norma, as entidades do sector petrolífero passaram a vender moeda estrangeira directamente aos bancos comerciais através da plataforma Bloomberg FXGO.  A dinâmica e eficiência verificada depois da consolidação das operações do sector petrolífero nessa plataforma, levou a que o procedimento fosse estendido ao sector diamantífero, com o BNA a publicar o Aviso 13/2020, a definir o regime aplicável a  estas últimas entidades, que adoptaram as operações de venda de moeda estrangeira na plataforma FXGO.  Em Agosto de 2020, o Tesouro Nacional conclui o processo de adesão à  plataforma FXGO, passando a vender os recursos em moeda estrangeira directamente  aos bancos comerciais, assinalando, assim, um marco na retirada do BNA enquanto  provedor, quando já estavam criadas as condições regulamentares e de infra-estrutura tecnológica.

Estabilidade cambial

A directora destacou a estabilidade verificada no mercado cambial, algo que atribui às reformas que permitiram que as transacções entre agentes do lado da procura  e da oferta de moeda estrangeira se realizem numa única plataforma, "de forma  eficiente, dinâmica, transparente e em tempo-real”.

Hoje, sublinhou, a taxa de câmbio é unicamente definida pelo mercado, em resultado das transacções que ocorrem aí "sem qualquer intervenção ou acção administrativa do Banco Nacional de Angola”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia