Política

Provedora de Justiça pede nova penitenciária

A provedora de Justiça, Florbela Araújo, apelou, sexta-feira, na província do Cuanza-Norte, para a construção de um novo estabelecimento prisional, em substituição do actual que se encontra em mau estado de conservação.

05/12/2021  Última atualização 09H43
Provedora de Justiça, Florbela Araújo, visitou as infra-estruturas prisionais locais © Fotografia por: Cedida
Após visitar a infra-estrutura e constatar as condições do estabelecimento prisional, Florbela Araújo afirmou que a unidade é muito antiga e não oferece condições para os reclusos, além de registar superlotação.

A par da unidade prisional, a provedora de Justiça mostrou-se também preocupada com o hospital provincial e pediu que, enquanto decorre a construção da nova unidade sanitária, seja concluída uma obra no actual.

Falou também da necessidade de aumento do número de médicos, principalmente, nas especialidades de ortopedia,  oftalmologia e cardiologia, que têm um profissional cada.

A provedora de Justiça ficou ainda preocupada com as instalações do Serviço de Investigação Criminal, inaugurado há menos de um ano, mas apresenta fissuras e parte do tecto está a desabar.

Florbela  Araújo pediu que seja responsabilizado o empreiteiro, junto do Ministério da Construção.
No Cuanza-Norte, a provedora de Justiça proferiu uma palestra  sobre "O mandato e a função do provedor de justiça na defesa dos direitos, liberdades e garantias dos cidadãos".

 A visita teve como objectivo divulgar o papel e a missão do provedor e da Provedoria de Justiça, assim como verificar as condições de funcionamento de algumas instituições públicas.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política