Cultura

Projecto “Pop Up” é lançado na sexta-feira em Benguela

Armindo Canda

Jornalista

O projecto “Pop Up Tamar Golan” vai ser lançado, na sexta-feira, na província de Benguela, no Museu de Arqueologia, com a inauguração de uma exposição colectiva intitulada “Angola nas telas da Solidariedade”, que vai contar com a participação de artistas locais e da capital do país.

05/06/2024  Última atualização 15H35
A conceituada artista plástica Carla Peairo é uma das seleccionadas da primeira edição da exposição colectiva de arte © Fotografia por: arão martins | edições novembro

O anúncio foi feito pelo director da Galeria Tamar Golan, Xavier Narciso, que explicou que o projecto é uma parceria com a TAAG-Linhas Aéreas de Angola e a União Nacional de Artistas Plásticos (UNAP). "Queremos levar a Galeria Tamar Golan às 18 províncias do país, e não ficar só em Luanda”, anunciou.

Xavier Narciso disse que a periodicidade para a realização de uma mostra será trimestral, e vai começar em Benguela, para posteriormente se realizarem outras actividades na Huíla e no Huambo. 

Depois desta fase experimental, enfatizou, só assim pretende alargar o projecto para as demais províncias. Acrescentou que o objectivo é dar oportunidade a artistas emergentes de outros pontos do país. 

"Um outro objectivo é ajudar centros de acolhimento de pessoas vulneráveis nestas províncias com as receitas arrecadadas deste projecto. Se nestes lares tiverem crianças com um potencial artístico serão convidadas a fazer parte das exposições”, afirmou.

Para esta primeira edição, referiu, foram seleccionados 12 artistas, nomeadamente Ábias Ukuma, Álvaro Sampaio, Carla Peairo, Dyra Santos, José Bento, José Gomes, todos de Benguela, e Azevedo Muhanguena, Adilson Vieira, Gilberto Kapitango, Jaime Alfredo, Isabel Landama e Zeca Lukombo, de Luanda. "Esta selecção nutrirá um espaço de diversidade e interacção artística interprovincial”, disse.

Artes plásticas como forte ferramenta de comunicação

De acordo com a organização, num texto crítico sobre a exposição, argumentou que a arte plástica é uma forte ferramenta de comunicação, que contribui para a promoção e divulgação da cultura nacional e com isso promover o turismo interno e mesmo o externo, com a visita de turistas aos espaços onde as artes culturais acontecem.

"Por isso, na mostra ‘Angola nas telas da Solidariedade’,  observamos linhas que nos transportam para as  zonas pintadas em diversas cores no traço da artista Carla Peairo”, sublinhou.

Disse que as obras levam as pessoas a uma viagem ao passado, à fonte da vida, às danças das Kaviúlas e monumentos e sítios, numa proposta do artista Ábias Ukama, num extraordinário contraste com as obras de Dyra Santos, na sua vertente surrealista.

O projecto, segundo a organização, é inovador e visa promover as artes plásticas e apoiar jovens artistas emergentes. Esta iniciativa busca apoiar a classe artística fora de Luanda, destinando parte dos recursos arrecadados de cada obra adquirida para ajudar crianças em situação de risco ou que vivem em lares de acolhimento.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura