Política

Programa com FMI leva retoma do crescimento económico este ano

César Esteves

Jornalista

Os resultados obtidos com o Programa de Financiamento Ampliado com o FMI (EFF), solicitado pelo Executivo, permitiram equilibrar as contas fiscais e externas, regularizar o mercado cambial e fazer reformas "importantes" que vão levar à retoma do crescimento económico do país a partir deste ano, anunciou, hoje, em Luanda, o ministro de Estado para a Coordenação Económica.

14/01/2022  Última atualização 14H44
© Fotografia por: DR

Manuel Nunes Júnior fez o anúncio dos resultados do Programa na reunião do Conselho Económico e Social convocada e dirigida pelo Presidente da República, João Lourenço, na sala do Conselho de Ministros, com a presença da imprensa desde o princípio ao fim. 

O Presidente da República felicitou os empresários e o povo angolano, pelos sacrifícios acrescidos com as consequências da pandemia da Covid-19. "Para o sucesso desse Programa, o mérito não foi, apenas, do Executivo. Todos nós contribuímos para chegarmos ao momento em que chegamos", destacou o Chefe de Estado.

O Programa de Financiamento Ampliado foi aprovado pelo Conselho de Dircetores Executivos do Fundo Monetário Internacional a sete de Dezembro de 2018, para vigorar até seis de Dezembro de 2021, três anos, e num montante de cerca de 3,7 mil milhões de dólares (SDR 2,673 mil milhões), correspondendo a 361 por cento da quota de Angola junto do Fundo.

Este programa teve como objectivo fazer face aos graves desequilíbrios macroeconómico a que o país estava sujeito, nomeadamente no que se refere as suas contas fiscais, contas externas e mercado cambial, bem como a criação das condições para uma efectiva diversificação da economia, de modo a promover, em Angola, um crescimento sustentado e sustentável da economia liderado pelo sector privado. 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política