Sociedade

Professores em greve a partir de Novembro

Alberto Quiluta

Jornalista

A partir de 10 de Novembro, as universidades e institutos superiores públicos do país dão início a uma greve por tempo indeterminado, anunciou, sexta-feira(29), em Luanda, o secretário-geral do Sindicato dos Professores do Ensino Superior (SINPES).

30/10/2021  Última atualização 08H10
© Fotografia por: DR
Eduardo Peres Alberto explicou que a declaração de greve é resultante do incumprimento de reivindicações antigas que o Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologias e Inovação (MESCTI) não tem estado disposto a satisfazer, com destaque para a melhoria do salário. 

Além de um salário condigno, os professores universitários reclamam pela falta de um seguro de saúde, melhoria das infra-estruturas para as instituições do Ensino Superior, formação contínua dos docentes e trabalhadores não docentes, boas condições de trabalho, pagamento da dívida e de fundos de investigação científica e publicações. 

Peres Alberto fez saber que os professores reivindicam, ainda, a reposição dos subsídios de diuturnidade, injustamente retirados, e a redução do Imposto de Rendimento do Trabalho (IRT). 

O secretário-geral salientou que, na Assembleia-geral Extraordinária, realizada em Maio de 2018, o SINPES avisou ao MESCTI que, se as reivindicações não fossem atendidas, a paralisação seria inevitável. 

O sindicalista disse que 99 por cento das instituições do Ensino Superior no país funcionam com infra-estruturas em más condições como em contentores e sem serviços mínimos, tendo referido que, dos países de África, Angola é o único que não conta com uma Cidade Universitária. 

O professor catedrático Carlinhos Zassala enumerou outras situações que levaram à declaração de greve, com destaque para a carência de docentes em muitos cursos de entidades orgânicas como as Faculdades de Engenharia, Ciências e Ciências Sociais. 

O também psicólogo realçou que a falta da pedagogia universitária é um problema que afecta a valorização do ensino e a docência nas universidades do país. 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade