Economia

Produção de Dezembro marca tendência da evolução em 2022

A Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG) declarou, ontem, ao Jornal de Angola, que o aumento da produção petrolífera angolana em dois milhões de barris, bem como da recuperação de gás observada no mês de Dezembro, representa a tendência da evolução do sector dos hidrocarbonetos ao longo do ano de 2022.

16/01/2022  Última atualização 08H45
© Fotografia por: DR
"A previsão é manter os níveis da média da produção alcançada em Dezembro e continuar a trabalhar nos planos de mitigação de risco, ou seja, continuarmos apostados na procura de soluções que minimizem os factores ou elementos que ameaçam a produção estimada”, afirmou uma fonte da ANPG instada a pronunciar-se sobre os números.

Na sexta-feira, a ANPG anunciou que a produção mensal de crude de Dezembro ascendeu para 35 634 887 barris, o que constitui mais de dois milhões ou 5,6 por cento que a de Novembro, de 33,3 milhões de barris.

O concessionário declarou que a produção média de Dezembro foi de 1 149 512 barris de petróleo por dia, um número próximo do valor de 1 148 000 barris referido na quinta-feira pelo secretário de Estado para o Planeamento, Milton Reis, como meta orçamental inscrita para este ano, quando se prevê que o sector angolano dos hidrocarbonetos cresça 1,6 por cento.

A produção de gás associado durante o mesmo período aumentou para 81 580 milhões de pés cúbicos, situando a produção de gás associado numa média diária de 2 632 milhões de pés cúbicos. As declarações da ANPG quanto aos planos de mitigação de risco e das ameaças à produção estimada reforçam o anúncio de medidas para aumentar a eficiência e fortalecer a actividade petrolífera feito pelo ministro dos Recursos Minerais Petróleo e Gás, Diamantino Azevedo, numa entrevista recente à publicação "The Energy Year”, na qual referiu a redução de paralisações não programadas, o acompanhamento dos programas de manutenção do operador em campo, bem como a realização de reuniões técnicas com o objectivo de garantir a produção de acordo com o estabelecido.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia