Economia

Produção de açúcar cresce 16 por cento

Luisa Victoriano | Malanje

A produção de açúcar branco, na Companhia de Bio-energia de Angola (Biocom), cresce este ano, 16 por centro, para 128 mil toneladas, acentuando a aproximação da oferta da empresa das necessidades de consumo do país, de 300 mil toneladas por ano.

20/05/2022  Última atualização 08H30
Oferta da Biocom representa 40% do consumo interno de açúcar © Fotografia por: Luisa Victoriano

A informação foi prestada, na quarta-feira, na sede da Biocom, em Cacuso, Malanje, pelo director-adjunto da empresa, Luís Bagorro, por ocasião do lançamento da colheita numa plantação de 30 mil hectares de cana-de-açúcar que a companhia dispõe naquele município.

Luís Bagorro disse que a produção de açúcar branco prevista para este ano representa 40 por cento do consumo anual do país, reafirmando os planos da companhia para atingir a capacidade instalada da produção de 250 mil toneladas por ano.

O responsável manifestou satisfação quanto ao crescimento da produção de açúcar nos últimos anos, uma  evolução que disse estar a viabilizar o fortalecimento da indústria nacional com o desenvolvimento sustentável da cadeia produtiva da cana-de-açúcar, em convergência com iniciativas do Governo como o Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (Prodesi).

Numa prova da observação das metas desse programa, Luís Barrogo afirmou que a Biocom já não importa uma parcela da sua oferta de açúcar, que, desde aquele ano, passou a estar constituída pela produção obtida na unidade de Cacuso.

O responsável afirmou que, para o desempenho previsto para o cômputo da oferta, a Biocom conta, este ano, com 3.500 trabalhadores direitos, empregues em operações de colheita de cana e produção de açúcar, mas, também, na produção de 18 metros cúbicos de etanol e de 64 mil megawatts/hora de energia de biomassa.

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia