Economia

Prodesi prevê mais apoios no escoamento de produtos

Ana Paulo

Jornalista

A secretária de Estado para a Economia, Dalva Ringote Allen, garantiu, ontem, em Luanda, que têm interagido com os produtores locais e demais representantes províncias, para garantir que o problema da transportação de bens essenciais e outros produtos dos campos de produção para os centros de consumo seja solucionado o mais rápido possível, estando em avaliação a abertura de mais financiamentos para este segmento.

22/09/2021  Última atualização 07H20
© Fotografia por: DR
No briefing bissemanal do Ministério da Economia e Planeamento, Dalva Ringote reconheceu existir ainda escassez de meios de transporte para o escoamento dos produtos de campo, constituindo-se assim no principal problema dos pro- dutores nacionais.
De acordo com a secretária de Estado, para minimizar os constrangimentos vividos, o Ministério da Economia e Planeamento está a efectivar em 163 municípios do país um levantamento exaustivo, através dos Agentes Municipais de Apoio à Produção e a Economia (AMAPES).O objectivo é constatar os principais défices para, deste modo, facilitar a rápida actuação do órgão regulador e parceiros ministeriais.

Em falta, apenas o envio de equipas ao município do Rivungo, na província do Cuando Cubango, situação a ser ultrapassada em breve.Os referidos agentes de campo estão também a recolher informações relacionadas com as cooperativas, os empresários, produtores, camponeses ligados à agricultura familiar, locais de residência, produtos em oferta, sua qualidade e nível de produção.

Estes elementos, realçou Dalva Ringote, vão também constar no Portal da Produção Nacional (PPN), onde até a presente data estão já registados 21.858 produtores nacionais, dos quais mais 1.252  foram enquadrados na semana passada.

"Em termos de produção, Angola é potencial em milho, mais para sabermos se é mesmo latente é necessário estar em campo, saber os mentores deste produto, e apoiá-los para que os cheguem ao consumidor e revendedores", afirmou a secretária de Estado, segundo quem a produção  no país só não chega em vários pontos devido a falta de transporte para o escoamento, elemento estes, que faz com que a população tem acedido aos bens produzidos com preços altos. "A produção nacional em grande escala é realidade, falta é mecanismo de transportação", reconheceu.  
 Apoio ao crédito
O Ministério da Economia e Planeamento, com o apoio da Banca Comercial , registou de 2019 até a presente data, um total de 845 projectos já financiados, dos 1.984 estabelecidos para o apoio ao crédito até 2022, o que representa uma execução de 42,59 por cento, num valor de 734 mil milhões de kwanzas.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia