Opinião

Processo de privatização de companhias aéreas e os seus efeitos

A delicadeza do processo relativo à preparação e privatização de companhias aéreas devia ser muito bem discutido e documentado de forma transparente, para evitar mal entendidos e estabelecer-se métodos adequados de avaliação das acções a executar. De uma forma geral, a privatização beneficiaria, em particular, a sociedade e o nosso ramo desempenharia um papel fundamental para melhorias económicas, se políticas apropriadasforem estabelecidas em termos de estrutura jurídica e se investimentos apropriados forem realizados e boa gestão for feita.

31/12/2018  Última atualização 09H24

A liberalização decidida durante a Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da União Africana, a 12 de Julho de 2000, na cidade de Lomé, no Togo, terá dado o passo mais desejado para o desenvolvimento do sector da aviação civil. Isso será um forte instrumento para garantir o crescimento do sector, providenciar e ampliar as oportunidades de negócio, bem como os resultados necessários para atrair investimento. A decisão sobre o projecto vai resultar em mudanças profundas no actual ambiente económico do continente. O espaço aéreo será mais seguro com as melhorias das comunicações, a gestão de tráfego e a navegação aérea. A liberalização permitirá o surgimento de novos “hubs” para a distribuição de tráfego internacional. Tudo isso deve ser consolidado pelos líderes africanos e os seus povos devem trabalhar em conjunto e corajosamente ainda mais ao nível regional, no sentido de melhorar os sistemas políticos, económicos, legais e sociais, tendo em conta que as acções hoje criadas e desenvolvidas nessas áreas determinarão que continente teremos no futuro. Contudo, em África, o continente pobre, após a independência dos países, não devia haver mais argumentos para o atraso ao seu desenvolvimento, pois dispõe de recursos potenciais suficientes que permitem enriquecê-lo e desenvolvê-lo, mas infelizmente isso não tem sido um facto. Acredito, pois, que haja um plano integrado concebido, que inclua os transportes e o desenvolvimento das comunicações, ao ser executado mudaria a actual situação comercial, agrícola e industrial e começar-se-ia um processo rápido de desenvolvimento dentro do contexto africano. A aviação como uma indústria de crescimento rápido e uma das áreas importantes dos transportes e meios de comunicação ajudaria nas mudanças rápidas se mais investimento estrangeiro fosse feito, considerando que a maior parte das empresas estatais, como a Air Gabon, Lina Congo, Nigeria Airways, Air Tanzania e a Air Zambia, deixou de existir, e a Air Zimbabwe faz apenas voos domésticos.
Ainda que lento, o crescimento económico que se vem registando em África tem contribuído para a expansão do sector privado.
A experiência tem demonstrado que a privatização é uma das oportunidades para gerar receitas, melhorar o desempenho das companhias aéreas, reduzir custos e obter rendimentos. No entanto, os moldes da privatização devem enquadrar-se no âmbito da redistribuição da riqueza nacional como uma das formas de fazer recuar a pobreza e mitigar o recurso às actividades de subsistência para sobreviver.
* Ph.D em Gestão de Aviação

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Opinião