Desporto

Primeira edição do CAN foi jogada por três países

António Cristóvão

Jornalista

A caminho no domingo, da disputa da 33ª edição, o Campeonato Africano das Nações (CAN), foi jogado pela primeira vez, em 1957, na cidade de Cartum, Sudão, com a presença de três países. Sudão, designado por Falcões do Deserto, país anfitrião, Egipto (Faraós) e Etiópia (Cabra), foram os únicos países que disputaram a conquista da Taça.

08/01/2022  Última atualização 08H30
© Fotografia por: DR
Segundo dados históricos, a intenção para a disputa do CAN foi proposta durante o 30º Congresso da Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA), realizado em 1956, na cidade de Lisboa, Portugal.

No ano seguinte, foi realizada a primeira edição da competição africana, mas sem partidas de apuramento para a fase final. Os Bafana-Bafana da África do Sul, que estavam inicialmente inscritos para concorrer, foram excluídos pela organização devido à política de apartheid na época.  

Depois da estreia, o CAN foi jogado no Egipto, em 1959, seguido pela Etiópia (1962), Ghana (1963) e Tunísia (1965), a sequência de disputa da prova, de dois em dois anos, mantém-se até hoje.

Após as cinco primeiras edições, a seguinte registou o aumento de participantes, tendo passado para seis e depois para oito países, mas criou-se a fase de apuramento para a fase final do evento.

No Senegal, em 1992, a prova foi estendida para 12 selecções, repartidas por quatro grupos, apurando-se as duas primeiras para os quartos-de-final.

Em 1996, na África do Sul, a CAF aumentou para 16, prosseguindo com os moldes anteriores.
Aquela edição foi marcada pela desistência das Super Águias da Nigéria durante a fase de grupos. Como corolário, foi interditada de competir em 1998, no Burkina Faso.


Início da competição 

A 33ª edição do CAN começa, a ser disputada no domingo, às 17h00, no Estádio Olembé, na cidade de Yaoundé, com o jogo entre Leões Indomáveis e Cavalos do Burkina Faso, desafio referente ao Grupo A.

A fase final vai contar com a presença de 24 selecções, apuradas no sistema de eliminatórias de grupos.
Para a definição dos países finalistas, as preliminares começaram no dia 7 de Outubro de 2019 e terminaram a 15 de Junho de 2021.

Nas eliminatórias, nas quais competiram 52 selecções entre elas a de Angola, Palancas Negras, foram disputados 150 jogos e apontados 341 golos, de acordo com as estatísticas da Confederação Africana de Futebol (CAF).

Angola, que falhou a nona presença na fase final do certame, foi a quarta e última do Grupo D da campanha de apuramento, com quatro pontos, atrás dos Leopardos da República Democrática do Congo (RDC), com nove.
Os Escorpiões da Gâmbia foram os primeiros classificados, com dez pontos, seguidos pelos Panteras do Gabão com a mesma pontuação.  

Angola acolheu a fase final do CAN, em 2010, com a participação de 15 selecções.
No Egipto, em 2019, foi a primeira vez que competiram 24 países e a prova foi disputada de 21 de Junho a 19 de Julho.

Inicialmente o certame estava agendado para os Camarões, mas devido a alguns incumprimentos foi-lhe retirada a organização, numa decisão da CAF a 8 de Janeiro de 2019.

Após 32 edições, com sete títulos conquistados, os Faraós do Egipto são a selecção com mais troféus da competição.

As Raposas do Deserto da Argélia são os actuais campeões africanos. Os argelinos venceram na final os Leões de Teranga do Senegal, por 1-0, em jogo disputado no Estádio Internacional do Cairo. O golo solitário foi apontado por Bounadjah.  Com aquele triunfo, os argelinos arrebataram o segundo título no seu palmarés.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Desporto