Política

Presidente satisfeito com funcionamento do Complexo Hospitalar “D. Alexandre”

César Esteves

Jornalista

O Presidente da República manifestou, este domingo, satisfação pelo grau de funcionamento do Complexo Hospitalar de Doenças Cardio-Pulmonares "Cardeal Dom Alexandre do Nascimento", ex-Sanatório de Luanda, que já realizou, com sucesso, desde a inauguração, em Dezembro do ano passado, mais de 100 cirurgias cardíacas.

08/08/2022  Última atualização 07H28
João Lourenço disse ter valido a pena o investimento feito no hospital, bem como nos profissionais que tratam dos doentes © Fotografia por: Santos Pedro| Edições Novembro

João Lourenço deslocou-se, ao fim da tarde de ontem, à unidade hospitalar, para se inteirar do funcionamento e aferir o grau de satisfação dos pacientes. Recebido à porta com cânticos de boas vindas, entoados por funcionários, o Presidente da República visitou, demoradamente, as três principais áreas do hospital, nome-adamente a cardiologia, pneumologia e neurocirurgia, tendo interagido com os pacientes.

Em declarações à imprensa, o Presidente João Lourenço disse que valeu o investimento feito na infra-estrutura, bem como nos profissionais que cuidam dos doentes. "Estamos satisfeitos com o que acabamos de constatar. Valeu apenas o investimento feito", sublinhou. Destacou o facto de o Complexo Hospitalar de Doença Cardio-Pulmonares Cardeal Dom Alexandre do Nascimento estar a realizar cirurgias do foro cardíaco e neuro de alta complexidade, antes só possível no exterior do país.

"Ao fim de oito meses, o hospital está a dar resposta não apenas a doentes da cidade de Luanda, mas, de uma forma geral, do país. Tem recebido doentes de praticamente todas as províncias", ressaltou. Durante a visita, João Lourenço, que se fez acompanhar de vários membros do Executivo cessante, interagiu, igualmente, com os profissionais das áreas visitadas, entre médicos, enfermeiros e técnicos, que demonstraram estar empenhados no trabalho que realizam na unidade hospitalar.

"Já passaram das 100 cirurgias do foro cardíaco, e estão dispostos a continuar a trabalhar em prol da saúde dos angolanos. Isto é muito gratificante", sublinhou o Presidente da República.

Pacientes agradecem pela visita

Josefina Caveia, de 38 anos, internada na enfermaria da neurocirurgia, mostrou-se satisfeita com a visita do Presidente da República, tendo agradecido o gesto. "Foi uma surpresa super agradável. Ele procurou saber do meu estado de saúde, e se eu estou satisfeita com a assistência que me prestam no hospital", contou. Transferida da província do Huambo, esta paciente disse que está a ser tratada com muita atenção, e que as condições encontradas no hospital estão à altura. Helena Tchikola, outra paciente internada, elogiou o gesto do Presidente da República, ressaltando que não se vai esquecer com facilidade. "Senti-me muito bem com a visita do Presidente da República. Afinal temos o pai que nos acompanha", realçou.

O director do hospital, Carlos Alberto Masseca, referiu que a visita do Presidente João Lourenço à unidade hospital representa um motivo de satisfação e orgulho para o colectivo de trabalhadores, sendo um estímulo para o trabalho realizado.

O Ex-Hospital Sanatório de Luanda, durante muitos anos considerado "corredor da morte", dada as condições precárias de que dispunha na altura, goza, agora, de melhores condições para prestar atendimento mais humanizado aos doentes do foro cardiopulmonar, fruto das obras de reabilitação e ampliação que de que beneficiou.

O processo de recuperação do hospital teve início em Março de 2018, depois da visita à unidade, a 15 de Dezembro de 2017, do Presidente da República, pouco depois de ser investido nas funções. Não tendo gostado do que viu, o Chefe de Estado orientou a imediata reabilitação, ampliação e apetrechamento da unidade sanitária, de modo a dar maior dignidade aos pacientes e aos funcionários.

A unidade hospitalar não beneficiava de obras de reabilitação desde 1972, altura em que foi inaugurada. O Complexo Hospitalar de Doenças Cardio-Pulmonares "Cardeal Dom Alexandre do Nascimento”, que viu aumentar o número de camas de 250 para 500, está equipado com aparelhos e tecnologias de ponta para prestar serviços de alta complexidade nas especialidades de cirurgia cardíaca, vascular e torácica, cuidados intensivos, neurocirurgia, cardiologia, pneumologia, cirurgia geral e torácica.

Está, igualmente, disponível para os serviços de angiologia, obstetrícia com doença cárdica materna ou fetal, pediatria, medicina interna, endocrinologia, neurologia, nefrologia, gastrenterologia, alergologia, reumatologia, infecciologia, oftalmologia, otorrinolaringologia e urologia.

O hospital "rompeu” completamente com a triste imagem que carregava do passado, transformando-se, hoje, numa das melhores unidades sanitárias do país. A nova unidade foi edificada numa área de 49.940 m2, sendo 34.770 m2 de ampliação e 11.907 m2 de reabilitação. Conta, agora, com cinco torres de quatro pisos, dos quais um de formação, com laboratório de simulação médica, um técnico e um pavilhão anexo. O edifício colonial foi completamente reabilitado e modernizado, com arranjos externos, vias de acesso e um estacionamento para 450 viaturas.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política