Mundo

Presidente Rodrigo Duterte vence eleições de meio mandato

O Presidente Rodrigo Duterte foi dado ontem como o vencedor das eleições de meio de mandato nas Filipinas, segundo os primeiros resultados extra-oficiais, o que pode facilitar a implementação das suas polémicas promessas de restaurar a pena de morte e reformar a Constituição, noticiou a AFP.

15/05/2019  Última atualização 08H46
DR © Fotografia por: Chefe de Estado filipino promete continuar luta anti-droga

Segundo números publicados pelo PPCRV, o organismo católico acreditado pelo Governo para contar os votos, com 94 por cento das urnas apuradas os candidatos ligados a Duterte conquistam nove das doze cadeiras em disputa no Senado.
Pelo menos 18 mil cargos públicos estavam em jogo nestas eleições, incluindo a metade do Senado, instituição que teve um papel crucial nos últimos três anos para barrar algumas das iniciativas mais polémicas de Duterte.
A Comissão Eleitoral informou que nenhum resultado oficial devia ser esperado antes de terça-feira à tarde e a divulgação dos números finais pode levar vários dias.
Os nomes dos novos senadores e deputados provavelmente devem ser anunciados no final da semana.
O Chefe de Estado eleito em 2016 é criticado por alguns países ocidentais pelas suas políticas violentas para combater o narcotráfico e, às vezes, grosseiras.
Mas ele continua muito popular no arquipélago, em parte pela sua sinceridade, já que alguns filipinos o consideram um recurso confiável ante a ineficiência das elites políticas tradicionais.
Duterte comprometeu-se a restabelecer a pena capital para crimes relacionados ao tráfico de drogas e lidera uma campanha contra os entorpecentes, que já matou milhares de supostos traficantes e consumidores. “Se você concorda comigo, então pode votar nos meus candidatos”, disse Duterte, que não está nas listas eleitorais, após votar.
O seu programa de linha dura contra a criminalidade teve um papel crucial na sua vitória por ampla margem na eleição presidencial de 2016. Actualmente ele defende a redução da maioridade penal de 15 para 12 anos. A princípio, no entanto, queria a mudança para a partir dos 9 anos.
As pesquisas já mostravam que os partidários de Duterte tinham grandes possibilidades de conservar a maioria na Câmara de Representantes e de assumir o controlo do Senado.
O Presidente também prometeu modificar a Constituição, o que poderia abrir o caminho para a sua permanência no poder após o fim do mandato em 2022.
Duterte foi eleito para um mandato único de seis anos. O advogado e ex-procurador de 74 anos, porém, já afirmou em diversas oportunidades que não tem interesse em permanecer por um período longo na Presidência.
Qualquer reforma constitucional exige não apenas a votação do Congresso, mas também a aprovação por referendo.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo