Mundo

Presidente renuncia ao cargo após derrota

A Presidente taiwanês, Tsai Ing-wen demitiu-se do cargo de chefe do Partido Democrático Progressista no poder, na sequência das perdas eleitorais locais sofridas pelo seu partido.

28/11/2022  Última atualização 10H05
A Presidente taiwanesa renunciou depois da derrota © Fotografia por: DR

Tsai ofereceu a sua demissão no sábado à noite, uma tradição após uma grande perda, num breve discurso em que também agradeceu aos apoiantes. Ela disse que assumirá a responsabilidade, uma vez que tinha escolhido a dedo os candidatos nas eleições.

Os eleitores em Taiwan escolheram esmagadoramente o partido nacionalista da oposição em várias eleições importantes pela ilha auto governada, num sábado eleitoral em que as preocupações persistentes sobre as ameaças da China tomaram um lugar secundário para questões mais locais.

Chiang Wan-an, o candidato a presidente da câmara municipal do partido nacionalista, ganhou a eleição na capital Taipé.

"Vou deixar o mundo ver a grandeza de Taipé”, disse ele no seu discurso de vitória. Outros candidatos do Partido Nacionalista também ganharam lugares de presidente da câmara em Taoyuan, Taichung e na cidade de Nova Taipé.

Nem todos os votos tinham sido formalmente contados na altura do seu discurso, mas Chiang e a liderança numérica dos outros candidatos permitiu-lhes declarar a vitória.

Kao Hung-an, um candidato do relativamente novo Partido Popular de Taiwan, ganhou o lugar de presidente da câmara municipal em Hsinchu, uma cidade onde estão sediadas muitas das empresas de semi-condutores de Taiwan.

Os taiwaneses escolheram os seus presidentes de câmara, membros do conselho municipal e outros líderes locais em todos os 13 condados e em nove cidades. Houve também um referendo para baixar a idade de voto de 20 para 18 anos.

Embora os observadores internacionais e o partido no poder tenham tentado ligar as eleições à ameaça existencial a longo prazo que é o vizinho de Taiwan, muitos peritos locais consideram que a China não tem um papel importante a desempenhar desta vez.

"A comunidade internacional elevou demasiado a fasquia. Eles elevaram uma eleição local a este nível internacional, e a sobrevivência de Taiwan”, disse Yeh-lih Wang, professor de ciências políticas na Universidade Nacional de Taiwan.

Durante a campanha, houve poucas referências aos exercícios militares de grande escala que a China realizou em Agosto, em reacção à visita da Presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo