Política

Presidente João Lourenço visita obras do Hospital Geral e Centralidade do Bengo

O Presidente da República, João Lourenço, visitou, este sábado, as obras do Hospital Geral do Bengo e da Centralidade de Caxito, que estão a ser erguidas na localidade do Bucula, a 5 quilómetros da sede provincial.

03/07/2022  Última atualização 09H37
Obras do futuro Hospital Geral do Bengo, visitadas ontem pelo Presidente da República, João Lourenço, durante a jornada de campo © Fotografia por: ANGOP

Durante a visita, o Chefe de Estado foi informado do andamento das duas empreitadas, sendo que o Hospital Geral do Bengo com capacidade para 200 camas vai abarcar vários serviços, com destaque para Medicina Geral, Pediatria, Hemodiálise e Cirurgia.

Segundo a ANGOP, as obras, que tiveram início em Agosto de 2021, com prazo de conclusão de 18 meses, a cargo da empresa de construção Promed, decorrem a bom ritmo, na ordem de mais de 60 por cento, com a estrutura de betão concluída, bem como alvenaria.

Para a construção, João Lourenço autorizou despesas no valor global estimado em 63 milhões e 180 mil dólares e a formalização da abertura do procedimento de Contratação Simplificada, sob critério material para a execução dos contratos de empreitadas de obras públicas.

 A rede sanitária da província é constituída por seis hospitais municipais, dois gerais, 22 centros de saúde, um materno infantil e 73 postos de saúde. 

A província do Bengo possui 105 médicos internos de especialidade, 26 médicos especialistas expatriados, 29 médicos especialistas nacionais, 1 477 enfermeiros, 398 técnicos de diagnóstico e terapêutica, 158 em regime geral, 237 de apoio hospitalar, perfazendo um total de 2 430 técnicos de Saúde.  

Centralidade de Caxito

A Centralidade de Caxito, na localidade do Bucula, apresenta um grau de execução física acima de 60 por cento, referente à primeira fase iniciada em Fevereiro deste ano.

O projecto terá um total de mil habitações, das quais 946 apartamentos, 30 moradias e 72 lojas. Compreende edifícios da tipologia T3, de quatro pisos, escolas primárias e secundárias, posto de saúde, jardim-de-infância, centro infantil e uma infra-estrutura desportiva.

 De acordo com o ministro das Obras Públicas e Ordenamento do Território, Manuel Tavares de Almeida, as primeiras habitações na Centralidade do Bucula, na província do Bengo, começam a ser entregues neste mês (Julho) aos candidatos concorrentes.

Autorizada pelo Presidente da República, por meio do Despacho nº 54/21, de 29 de Abril, a obra da Centralidade do Bucula está orçada em 182,9 milhões de dólares norte-americanos, acrescidos de USD 4,5 milhões para o contrato de fiscalização.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política