Política

Presidente João Lourenço garante apoio contínuo ao sector do desporto

Adelina Inácio

O Presidente da República, João Lourenço, assumiu, ontem, o compromisso de continuar a dar os apoios necessários ao desporto, e, em particular, à selecção angolana de andebol feminino com vista a garantir as futuras vitórias para o país.

30/11/2022  Última atualização 07H45
Chefe de Estado afirma que a pátria rende-se ao patriotismo das jogadoras que conquistaram o título africano pela 15ª vez © Fotografia por: Santos Pedro | Edições Novembro

No acto que decorreu no Palácio Presidencial, na Cidade Alta, o Chefe de Estado afirmou que com a vitória alcançada no Senegal as andebolistas mostraram que o investimento na modalidade tem sempre um bom retorno.

"Daí a razão de estarmos aqui neste momento, então se o investimento tem um bom retorno é óbvio que devemos continuar a investir e não desinvestir. Gostaríamos que outras modalidades seguissem o vosso exemplo. Afinal, é possível desde que haja trabalho”, defendeu João Lourenço.

O Presidente afirmou que a Nação angolana tem reconhecido o trabalho desenvolvido pelas andebolistas e pelo facto de ser a única modalidade que já produziu duas ministras da Juventude e Desportos. "Mais nenhuma outra modalidade produziu duas ministras da Juventude e Desportos. Portanto, quer me parecer que não acontece por um mero acaso, mais por uma questão de justiça e de reconhecimento pelo contributo que a vossa modalidade tem prestado ao desporto angolano”, sublinhou.

Dirigindo-se às andebolistas, o Chefe de Estado disse que a Pátria rende-se à entrega e ao patriotismo das jogadoras pelo facto de conquistarem, pela décima quinta vez, o título de campeãs africanas da modalidade.

"Muitos gostariam de ter todas essas vitórias, mas como se costuma dizer as vitórias não caem do céu. São sempre resultado do empenho e do trabalho. E se vocês são quinze vezes campeãs africanas, significa dizer que a nível do continente são as que mais se empenham, são as que mais têm merecido a vitória, têm trabalhado para merecerem as vitórias que ao longo dos anos vêm conquistando”, disse, pedindo às jogadoras para conquistarem mais duas vezes o título de campeãs africanas.

A ministra da Juventude e Desportos, Palmira Barbosa, que também interveio no encontro com o Presidente da República, disse que o décimo quinto título conquistado pelas andebolistas leva a reflectir sobre as estratégias que se devem seguir, numa altura em que se assiste a necessidade de outras modalidades manterem o mesmo caminho ou voltarem a dar alegrias ao país com vitória a nível continental.

Palmira Barbosa sugeriu que o futebol e o basquetebol devem também estar no topo das selecções africanas, e não só, por serem modalidades que atraem multidões sem deixar de prestar atenção às outras modalidades.

A ministra da Juventude e Desportos pediu às "meninas de ouro” para fazerem uso do desporto para ajudar a juventude a amar cada vez mais o país. "Sois campeãs africanas e influenciadoras, sois a força para atrair mais jovens para a prática do desporto. Juntas vamos dar vida às políticas do Ministério”, defendeu Palmira Barbosa.

A dirigente reconheceu o apoio do Presidente da República para o desenvolvimento do desporto no país e por ter sempre esta actividade entre as prioridades. O Presidente da Federação Angolana de Andebol, Amaral Júnior, pediu para que o Chefe de Estado continue a apoiar a selecção, para vencer os desafios que tem em 2023. "Já provamos que em África somos a melhor selecção, precisamos continuar a trabalhar para continuar a ser”, disse. Angola, acrescentou, quer participar no Campeonato do Mundo em 2023: "Precisamos do apoio do Presidente da República, que já tem dado, mas queremos que continue a dar para que possamos aparecer num pódio mundial”.

Pediu, igualmente, o apoio do Presidente da República para organizar um torneio pré-olímpico, em 2023, para que neste evento Angola se possa classificar para França 2024.

O técnico da selecção nacional de andebol, Vivaldo Eduardo, acredita que com mais trabalho pode ainda dar mais vitórias ao país como solicitado pelo Presidente da República.

"Para tal, precisamos continuar com as sinergias que têm caracterizado o trabalho a nível da modalidade do andebol. Quero, em primeiro lugar, agradecer e continuar a contar com a disponibilidade das atletas que têm sido verdadeiras heroínas. Dedicam-se bastante. Espero continuar a contar com o grande trabalho de vários treinadores e dos diversos clubes”, defendeu Vivaldo Eduardo.

Já capitã da selecção de andebol, Isabel Guialo, acredita que com muito trabalho é possível conquistar mais títulos e continuar a dar alegria ao país. "É possível conquistar mais títulos. Como acabaram de ouvir o nosso técnico, a equipa tem trabalhado muito. Isso é um trabalho de base, não começou agora”, disse.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política