Política

Presidente João Lourenço é homenageado nos EUA

O Chefe de Estado, João Lourenço, é homenageado, na segunda-feira, em Washington, pela Fundação Internacional para a Conservação do Ambiente (ICCF), pelo envolvimento em iniciativas de defesa ambiental, refere uma nota da Secretaria de Imprensa do Presidente da República.

18/09/2021  Última atualização 08H30
Chefe de Estado vai ser distinguido pelo envolvimento em iniciativas de defesa do ambiente © Fotografia por: Edições Novembro
A nota informa que o Presidente da República deixa, hoje, o país, com destino a Washington, Estados Unidos da América (EUA), partindo depois para Nova Iorque, onde vai participar no debate geral da 76ª Sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas.

Na gala de homenagem da ICCF está previsto um discurso do Presidente João Lourenço, na presença de altas figuras da política local e internacional, com realce para a presença do homólogo colombiano, Iván Duque Márquez, e numerosos congressistas.

Em declarações, ontem, à Angop, o embaixador de Angola nos EUA, Joaquim do Espírito Santo, confirmou, igualmente, a presença de membros do Congresso, da Administração Biden, empresários americanos e de representantes de Organizações Não-Governamentais (ONG).

A ICCF é uma fundação educacional apartidária, com sede em Washington, cuja missão é "promover a liderança dos EUA na conservação internacional, por meio de parcerias públicas e privadas e desenvolver a próxima geração de líderes conservadores no Congresso dos EUA”.

A Angop apurou que durante a gala anual da ICCF será assinado um memorando de entendimento entre o Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente e a "African Parkes”. Trata-se de ONG fundada em 2000 e sediada em Joanesburgo, África do Sul, que administra parques nacionais e áreas protegidas em todo o continente africano, em colaboração com governos e comunidades vizinhas.


  Mesa-redonda aborda oportunidade de negócios

No mesmo dia, o Presidente João Lourenço participa numa mesa-redonda sobre investimentos em Angola, iniciativa da Câmara de Comércio Estados Unidos da América-Angola, na qual falará aos empresários americanos, a quem vai transmitir uma mensagem sobre as oportunidades de negócios no país.

Na ocasião, será assinado um memorando de entendimento com a "Sun Africa”, empresa de energias limpas, soube a Angop de fonte próxima do processo. Está prevista a presença da secretária do Comércio dos Estados Unidos, Gina Raimondo, que fará uma breve intervenção.

O embaixador de Angola nos Estados Unidos adiantou que o Chefe de Estado tem, também,  um encontro com a Câmara do Comércio e Indústria dos EUA e com empresas americanas, para transmitir os passos que o Governo angolano tem dado e os domínios específicos em que empresários dos EUA podem investir e contribuir para a diversificação da economia do país.

Segundo Joaquim do Espírito Santo, devido às restrições decorrentes da pandemia da Covid-19, foram seleccionadas apenas 11 empresas que vão abordar com o Presidente João Lourenço questões que têm a ver com o investimento em Angola.

Afirmou que estão, ainda, previstos contactos no Congresso com as lideranças do Senado e da Câmara de Representantes, para estabelecimento de diálogo, acordos económicos, relações pacíficas e parcerias comerciais. Segundo a Angop, um encontro com a secretária do Comércio dos EUA está, igualmente, previsto, bem como com o conselheiro nacional de Segurança, para tratar de assuntos de interesse bilateral.

No último dia da visita a Washington, João Lourenço visitará o Museu de História Afro-Americana, onde vai encontrar-se com descendentes de escravos idos de Angola há mais de 400 anos, que se estabeleceram na região da Virgínia, com participação relevante na conformação do que hoje se conhece como EUA.

Em Nova Iorque, o Chefe de Estado fará o seu discurso na tribuna da Assembleia Geral das Nações Unidas, sendo o quinto orador do dia, depois dos líderes da África do Sul, Guyana, Botswana e Cuba.
Além da participação no debate geral anual da Assembleia Geral da ONU, o Presidente da República vai encontrar-se com líderes de vários países.

Joaquim do Espírito Santo caracterizou como bom o ambiente político-diplomático e comercial entre Angola e os EUA, sustentando que, mesmo no ano passado, no auge da pandemia da Covid-19, o Chefe de Estado angolano manteve um encontro virtual com o Conselho de empresas que aconselha o Presidente dos EUA.

"Foi um encontro muito importante, porque foi o primeiro do género realizado com um Chefe de Estado africano. Vamos conintuar a trabalhar nessta senda, para podermos receber, em Angola, novas empresas americanas, para ajudarem no processo de desenvolvimento e diversificacao da economia”, enfatizou o embaixador.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política