Política

Presidente exprime pesar pela morte do general Nguto

O Presidente da República, João Lourenço, diz ter sido “com muito pesar” que recebeu a notícia do falecimento, na quarta-feira, em Luanda, por doença, do general Jorge Barros Nguto.

22/07/2021  Última atualização 08H25
general Jorge Barros Nguto © Fotografia por: Cedida
Numa mensagem de condolências, o Comandante-em-Chefe das Forças Armanadas escreve que o general Nguto serviu, durante 47 anos, "o braço armado do Povo angolano”, mas "muito ainda podia dar à Pátria”.

"Tendo feito o curso superior de Tropas Blindadas, na Rússia, o inditoso exerceu importantes cargos nas Forças Armadas Angolanas, entre eles o de Adjunto do Chefe do Estado-Maior General para a Área Operacional e de Desenvolvimento e Chefe do Estado-Maior do Exército”, realça.

Para o Chefe de Estado, a "perda prematura” do general Nguto, quando muito ainda podia dar à Pátria angolana, "deixa consternados os seus familiares, amigos e companheiros de armas”, a quem expressa "os seus mais sentidos pêsames”.


Mensagem do ministro

O ministro da Defesa Nacional e Veteranos da Pátria considera que o general Jorge Barros Nguto "foi um dos mais destacados cabos de guerra que o país e os angolanos já tiveram ao serviço das Forças Armadas”. Numa mensagem de condolências dirigida ao Estado-Maior General das FAA e à família enlutada, João Ernesto dos Santos "Liberdade” escreve que foi com "a mais profunda consternação” que tomou conhecimento do falecimento de Jorge Barros Nguto.

Lembra que o general teve activa participação no movimento revolucionário para a conquista e preservação da Independência e soberania, paz e reconciliação nacional, democracia e normal funcionamento das instituições.
Noutra mensagem de condolências, João Ernesto dos Santos exprime "profunda consternação” pelo falecimento do Rei "Mwene Mbando III”, ocorrido na segunda-feira, no Luena, por doença. O ministro considera que o soberano foi um "notável homem da cultura, acérrimo historiador e conservador da tradição do povo Bunda”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política