Política

Presidente do PRS promete estabelecer plano de saúde

Flávia Massua | Saurimo

Jornalista

O presidente do Partido de Renovação Social PRS prometeu, ontem, em Saurimo, que vai estabelecer no país um “plano de seguro de saúde universal para todos os angolanos”, caso vença as Eleições Gerais de 24 deste mês.

06/08/2022  Última atualização 08H10
© Fotografia por: DR

Benedito Daniel, que orientava o acto político de massas no mercado informal de Candembe, nos arredores da cidade, defendeu igualdade de tratamento à saúde.

Criticou o privilégio que um determinado segmento goza em detrimento de outros, sujeitos a "enormes filas nos hospitais públicos, para consultas médicas, que culminam na entrega de receitas, para a compra individual de medicamentos”.

O líder partidário apresentou durante o acto que atraiu centenas de militantes simpatizantes e amigos do PRS  as linhas de força do programa de governo e do manifesto eleitoral. "Aspectos ligados ao desenvolvimento político, económico e sociocultural, que na prática servem para a "reconstrução da nação”, ilustram o essencial contido nos três eixos referidos.

Prometeu "desenvolver Angola e defender a posição dos angolanos de forma permanente, independentemente da sua classe social”, e de seguida apelou ao voto, com a finalidade de "eliminarmos, uma vez por todas, as assimetrias regionais vigentes no país”.

Benedito Daniel insistiu na necessidade de efectivar o federalismo”, contrariado por "pessoas sem maturidade política, "porque no seu entender, o federalismo "não significa divisão.”

Permite "erradicar assimetrias, proporcionar direitos equitativos e garantir a separação de poderes políticos e a soberania nacional”.

Apesar de reconhecer algum esforço patente no desenvolvimento de vários sectores públicos na província, minimizou os trabalhos de reconstrução da Estrada Nacional EN 230, que liga a província de Malanje com o Leste do país.

Disse que o estado de degradação da via que liga Saurimo e a sede municipal do Dala revela "falta de vontade política para reabilitar 163 quilómetros, a crítica foi extensiva a toda a malha rodoviária nacional”.

Benedito Daniel reiterou o voto ao seu partido "com as melhores políticas de governação”, citando a construção de casas, um sistema eficiente de saúde, instituições públicas funcionais, mercado de negócios fluido, investimento estrangeiro em pleno e outras apostas, para permitir que todos os angolanos tenham o direito ao emprego.

Sobre o salário mínimo da Função Pública defendeu, sem avançar números, "uma atenção especial  no seu governo, para pagar valores condignos, que satisfaçam as necessidades básicas mensais das famílias”.

Na súmula em língua Cokwe, a pedido dos militantes, Daniel desafiou os órgãos públicos de comunicação social a provarem, num dos seus discursos, onde promete um salário mínimo de 500 mil kwanzas, para refutar as acusações que tem sido alvo "alegadamente nos pronunciamentos feitos em vários pontos do país no quadro da campanha eleitoral”.

Na mensagem de boas-vindas, o secretário provincial Eugénio Sacupumbo e candidato a deputado manifestou a sua disponibilidade para enfrentar os novos desafios depois de 24 de Agosto, enfatizando a necessidade dos angolanos votarem para a alternância política e permitir a implementação de uma acção governativa moderna e inclusiva.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política