Política

Presidente do MPLA cumpre agenda na Lunda-Sul

Adão Diogo | Saurimo

Jornalista

O presidente do MPLA, João Lourenço, vai dirigir hoje um acto político de massas, no bairro Terra Nova, na cidade de Saurimo (Lunda-Sul), antecedido da inauguração de um novo e moderno edifício do Comité Provincial do partido.

25/06/2022  Última atualização 06H00
Acto político de massas © Fotografia por: Edições Novembro
Segundo os organizadores, estima-se, hoje, a presença de 70 mil militantes, simpatizantes e amigos do MPLA, depois de ontem terem recebido, no Aeroporto Deolinda Rodrigues, em Saurimo, o líder do partido, com um clima de euforia ritmado pela dança Txianda e outras manifestações de carinho até ao fim da tarde.

João Lourenço saudou a multidão durante a caminhada de alguns minutos, num cenário "pintado” pelas cores vermelha e preta, no espaçoso pátio externo. As pessoas agitavam bandeiras, batiam palmas e outros gestos para manifestar afecto.

Depois, o líder partidário manteve, ainda ontem, um encontro demorado com o primeiro secretário provincial do MPLA na Lunda-Sul, Daniel Neto.

No quadro da estadia na região Centro-Leste do país, a comissão organizadora do evento preparou uma feira agropecuária com produtos locais, destacando-se o peixe cacusso, o bombo, a batata-doce, ginguba, hortícolas e frutícolas.

 

Huambo

A contínua garantia do progresso social da população e a promoção da dignidade humana constituem as propostas permanentes de maior consideração do MPLA, assegurou a primeira secretária do partido na província do Huambo, Lotti Nolika.

A dirigente, citada pela Angop, falava, ontem, num acto político de massas da pré-campanha eleitoral, na vila municipal do Ucuma, a 100 quilómetros a Oeste da cidade do Huambo.

Lotti Nolika disse que o MPLA, liderado pelo Presidente João Lourenço, vai dar seguimento aos programas de desenvolvimento socioeconómico, com foco na promoção do bem-estar colectivo e do desenvolvimento do país nos vários domínios.

Apontou a construção de infra-estruturas com impacto directo na vida da população, entre escolas, hospitais, estradas, habitações, sistemas de distribuição de água potável e projectos de electrificação, como as grandes acções de governação do MPLA, conforme o legado do primeiro Presidente de Angola, segundo o qual "o importante é resolver os problemas do povo”.

Perante o eleitorado do município do Ucuma, disse que o MPLA vai, em caso de vitória nas eleições de 24 de Agosto próximo, continuar a apostar na modernização do país: "Estamos tranquilos pelo facto de ser um partido de massas que goza de prestígio perante os angolanos, por ser justo e verdadeiro na criação de políticas públicas para a elevação do bem-estar da população”.

Para o efeito, apelou aos militantes, amigos e simpatizantes a transformarem-se em verdadeiros cabos eleitorais para a divulgação do programa de governação, para o quinquénio 2022/2027, na perspectiva de uma vitória retumbante.

Comparando as eleições de 2008 e 2012, o MPLA perdeu dois deputados pelo círculo eleitoral da província do Huambo.

 

Cunene

Os militantes da JMPLA no Cunene iniciaram ontem a campanha de sensibilização dos eleitores, na sequência do apelo feito pelo líder do MPLA e candidato João Lourenço, na conta da rede social Facebook. João Lourenço apelou, recentemente, aos militantes do MPLA, da JMPLA e da OMA a redobrar a campanha de mobilização dos eleitores, no método "porta-a-porta", na conta do Facebook e o primeiro secretário do Comité Provincial da JMPLA no Cunene, Ireno Nambalo, iniciou ontem com a implementação.

Em declarações ao Jornal de Angola, o político disse que participaram na campanha no primeiro dia 436 militantes da JMPLA que trabalharam no bairro Napalala 2 e sensibilizaram mais de 2 mil pessoas.

Ireno Nambalo apontou que durante a campanha foram exibindo a imagem do candidato João Lourenço e da bandeira do MPLA. "A mensagem principal que passamos é que dia 24 de Agosto vai haver eleições e o cabeça-de-lista do nosso partido é o camarada João Lourenço e que os eleitores devem votar no MPLA", disse.

Reforçou que os militantes passaram de casa em casa e também na Praça Napalala 2 e em todos os espaços públicos que tivessem pessoas. "A nossa mensagem foi muito bem recebida e tivemos um retorno positivo", disse, sublinhando que a campanha "porta-a-porta" vai continuar nos outros cinco municípios do Cunene.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política