Política

Presidente da República exige mais trabalho e melhor comunicação

César Esteves

Jornalista

O Presidente da República, João Lourenço, exigiu mais trabalho e melhor comunicação aos membros do novo Executivo, em funções desde esta segunda-feira , informando-os que o lema deste mandato é "trabalhar mais e comunicar melhor".

20/09/2022  Última atualização 07H24
Titular do Poder Executivo mostrou-se aberto a receber contribuições de todos os empossados © Fotografia por: Kindala Manuel e Dombele Bernardo | Edições Novembro

O Titular do Poder Executivo, que se dirigia aos seus auxiliares, minutos depois de os empossar nas funções, numa cerimónia realizada no Salão Nobre do Palácio Presidencial, referiu ser necessário empreender, já no primeiro ano deste mandato, que vai até 2027, alguma velocidade, de modo que, no final do mesmo, seja possível dizer: "missão cumprida, servimos bem o povo e a Nação angolana”.

Mas, para o alcance deste desiderato, o Presidente da República lembrou aos ministros, na maioria reconduzidos, para a necessidade de se ser mais humilde no exercício das funções, sublinhando que ninguém nasce sabendo tudo, apesar da formação académica que possa ter.

"Precisamos de ser humildes, em primeiro lugar, e reconhecer que não sabemos tudo. Aprende-se fazendo, cometendo erros. Desde que não sejam graves, consideramos que são normais. E cada dia que passar, estaremos em melhores condições de desempenhar, com zelo e com sucesso, as missões que nos foram incumbidas", realçou o Presidente, desejando boas-vindas e muito sucesso aos membros estreantes do Executivo.

Em relação à recondução, neste novo mandato, de grande parte dos ministros que integraram o anterior Executivo, o Presidente esclareceu que a medida se deve ao facto de terem pertencido a uma equipa que trabalhou no meio de inúmeras adversidades e, apesar disso, conseguiu vencê-las, ultrapassá-las e conquistar grandes realizações em prol do povo angolano e do país.

"Daí o facto de terem sido premiados - se me permitem a expressão - com esta recondução", salientou o Presidente da República, destacando que a equipa foi lutadora, mas, sobretudo, vencedora.

 

Mais empenho

Em declarações à imprensa, no final da cerimónia, o ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, referiu que, entre os grandes desafios do sector que dirige, para este mandato, destaca-se a continuação dos projectos de combate aos efeitos da seca no Sul do país e a interligação eléctrica entre os sistemas Norte, Centro e Sul, sublinhando que, neste momento, falta concretizar a interligação entre o Centro e o Sul, nomeadamente, a ligação entre a Huíla e o Huambo, Huíla e Namibe, Huambo-Cunene, Huambo e Menongue, além da interligação com as três províncias do Leste.

A ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Ana Paula do Sacramento Neto, prometeu prestar uma maior atenção às questões de género e aos 11 compromissos da criança.

Palmira Barbosa, que se estreia neste Executivo, promete apostar na continuidade dos programas iniciados pela antecessora, mas vai prestar uma atenção especial à juventude, no que ao acesso à habitação diz respeito.

O ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Marcy Lopes, disse que uma das grandes prioridades do seu consulado vai passar pela entrega célere dos documentos produzidos no sector, com destaque para o Bilhete de Identidade.

Por seu lado, a ministra das Pescas e Recursos Marinhos, Carmen dos Santos, disse que o mandato vai privilegiar a auscultação, com humildade, para perceber a dinâmica que o sector vai tendo, enquanto o ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Mário Augusto Oliveira, prometeu uma maior aposta na expansão dos serviços de telecomunicações em todo o país, com o objectivo de alargar a cobertura de telefonia móvel, que se encontra na ordem dos 49 por cento, a níveis mais elevados, de forma a que todo o angolano, onde estiver tenha acesso à telefonia.

Dalva Ringote, que assume a pasta de ministra de Estado para a Área Social, disse que vai empenhar-se para garantir a implementação dos projectos sociais, quer a nível da estrutura central quer local, de modo que as pessoas possam sentir o impacto real dos mesmos nas suas vidas.         

 

Ministros empossados

Tomaram posse, nesta cerimónia, o ministro de Estado e chefe da Casa Civil do Presidente da República, Adão de Almeida, o ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior, a ministra de Estado para a Área Social, Dalva Ringote, e o ministro de Estado e chefe da Casa Militar do Presidente da República, Francisco Furtado.

Foram, ainda, empossados os ministros da Defesa Nacional, Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, João Ernesto dos Santos, do Interior, Eugénio Laborinho, das Relações Exteriores, Téte António, da Administração do Território, Dionísio da Fonseca, da Justiça e dos Direitos Humanos, Marcy Lopes, das Finanças, Vera Daves, da Economia e Planeamento, Mário Caetano João, e da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, Teresa Dias.

Tomaram, igualmente, posse os ministros da Agricultura e Florestas, António Francisco de Assis, das Pescas e Recursos Marinhos, Carmen dos Santos, da In-dústria e Comércio, Victor Fernandes, dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino Azevedo, dos Transportes, Ricardo d´Abreu, da Energia e Águas, João Baptista Borges, das Obras Públicas, Urbanismo e Habitação, Carlos Alberto dos Santos, das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Mário Augusto Oliveira, do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Maria do Rosário Bragança, da Educação, Luísa Grilo, e da Saúde, Sílvia Lutucuta.

Dos ministros empossados, ontem, pelo Presidente da República, constam, também, a da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Ana Paula do Sacramento Neto, da Cultura e Turismo, Filipe Zau, do Ambiente, Ana Paula de Carvalho, da Juventude e Desportos, Palmira Barbosa, e a secretária do Conselho de Ministros, Ana Maria da Silva.

 

Governadores

Numa outra cerimónia, o Presidente da República conferiu posse aos 18 governadores provinciais, nomeados na passada sexta-feira. Ao tomar da palavra, o Presidente da República lembrou aos governadores que os desafios deste novo mandato passam pela  conclusão dos projectos do mandato anterior, conceber e executar novos projectos em todos os domínios do desenvolvimento do país.

O Presidente ressaltou que o país só será desenvolvido se houver a preocupação de desenvolver as províncias, mas, sobretudo, os municípios, por as províncias serem aquilo que os municípios forem.

O Titular do Poder Executivo salientou que, desde que se concebeu e se começou a implementar o Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), começou-se a notar melhorias significativas no desenvolvimento dos municípios e das localidades. "E o que nós esperamos de vocês é que prestem especial atenção a este Programa, a este Plano. Precisam de acompanhar melhor e concluir o que não está feito", orientou.

O Presidente disse haver províncias que estão mais avançadas que outras e que é responsabilidade do Executivo levar a bom porto a execução do PIIM, que já deu mostras de estar a resolver muitos dos problemas das comunidades, desde escolas, centros de saúde, sistemas de abastecimento de água, ruas das cidades e das vilas.

"Temos de garantir que a conclusão deste plano seja um sucesso e começarmos a pensar mesmo na possibilidade de o estender, quando os recursos que foram postos à disposição deste, se esgotarem", referiu.

Para esta empreitada, o Presidente sublinhou que a ligação com o Executivo Central é fundamental.

 

Optimismo

Manuel Homem, que assume a província de Luanda, disse estar pronto para o novo desafio: "A vida, para os homens, é de desafios e nós estamos preparados para este desafio que nos foi incumbido". Prometeu trabalhar com os citadinos da província para a resolução dos grandes males que enfermam a capital do país, como o saneamento básico e a segurança pública.

Mara Quiosa, governadora de Cabinda, admitiu que a província é de muitos desafios, à semelhança de outras, mas referiu que o segredo passa por um trabalho árduo que não descarte uma boa comunicação. Tomaram posse, nas funções de governadores provinciais, Manuel Homem (Luanda), Pereira Alfredo (Bié), Maria Antónia Nelumba (Bengo), Luís Nunes (Benguela), Mara Quiosa (Cabinda), Gerdina Didalelwa (Cunene), José Martins (Cuando Cubango), Pedro Maquita (Cuanza-Norte), Job Capapinha (Cuanza-Sul), Lotti Nolika (Huambo), Nuno Mahapi (Huíla), Deolinda Vilarinho (Lunda-Norte), Daniel Félix Neto (Lunda-Sul), Marcos Nhunga (Malanje), Ernesto Muangala (Moxico), Archer Mangueira (Namibe), José Carvalho da Rocha (Uíge), e Adriano Mendes de Carvalho (Zaire).


Integrantes do Gabinete do Presidente tomam posse

O Presidente da República conferiu, ainda ontem, posse aos integrantes do seu Gabinete, que foram todos reconduzidos. Tomaram posse o ministro e director do Gabinete do Presidente da República, Edeltrudes Costa (já trazia o cargo de ministro do Governo anterior, não lhe tendo sido atribuído agora, como por lapso escreve o Jornal de Angola na edição de ontem),  a directora-adjunta do seu Gabinete, Avelina dos Santos, o secretário-geral do Presidente da República, Félix de Jesus Cala, o director do Gabinete de Quadros, Edson Barreto, o secretário do Presidente da República para os Assuntos Políticos e Parlamentares, Fernando Cativa, o secretário para os Assuntos Diplomáticos e de Cooperação Internacional, Victor Lima, o secretário para o Sector Produtivo, Isaac dos Anjos, o secretário para os Assuntos Judiciais e Jurídicos, Francisco de Carvalho Neto, o secretário para os Assuntos  Económicos, Victor Hugo Guilherme, a secretária para os Assuntos Sociais, Maria de Fátima Viegas, o secretário para os Assuntos de Comunicação Institucional e de Imprensa, Luís Fernando, e o secretário para a Reforma do Estado, Pedro Fiete.

Estiveram presentes na cerimónia de posse a Vice-Presidente da República, Esperança da Costa, a presidente da Assembleia Nacional,  Carolina Cerqueira, os juízes presidentes dos Tribunais Supremo, Constitucional e Contas, nomeadamente, Joel Leonardo, Laurinda Cardoso e Exalgina Gamboa, respectivamente. Estiveram, igualmente, presentes o Procurador-Geral da República, Hélder Pitta Grós, o chefe do Estado Maior das Forças Armadas Angolanas, Egídio Sousa Santos "Disciplina”, e o comandante geral da Polícia Nacional, Arnaldo Carlos.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política