Política

Presidente da República exige mais dedicação ao trabalho

César Esteves

Jornalista

O Presidente da República, João Lourenço, alertou, quinta-feira, no Palácio da Cidade Alta, os membros do Executivo, quando empossava os secretários de Estado, que há muito por fazer e o tempo é "sempre" um bem escasso, exigindo, por isso, dedicação ao trabalho.

23/09/2022  Última atualização 07H00
Chefe de Estado, João Lourenço, alertou os empossados que cinco anos passam rápido © Fotografia por: Dombele Bernardo | Edições Novembro

"Cinco anos passam rápido, portanto, é agora que temos que começar a trabalhar, de forma organizada, mas arduamente", salientou o Presidente da República, desejando aos secretários de Estado sucessos no exercício das funções para as quais acabam de ser empossados.

O secretário de Estado para o Urbanismo e Habitação, Adérito Mohamed, fez saber que uma das temáticas que vai merecer atenção especial do sector é a da habitação, para "se oferecer mais casas à população, sobretudo aos jovens". "Temos um défice elevado de casas, fundamentalmente em Luanda. O nosso desafio, hoje, é o de olharmos para a nossa capacidade de resposta local, e trabalharmos com a juventude, a fim de encontrarmos soluções mais equilibradas para todos", realçou.

Carlos Alberto Pinto de Sousa, secretário de Estado para a Saúde Pública, ressaltou que as linhas de força já estão plasmadas no programa do Governo para este quinquénio. "Resumidamente, podemos dizer que, no domínio da saúde pública, as acções vão incidir sobre a prevenção e combate às doenças endémicas e epidémicas, no reforço da vigilância epidemiológica, da atenção materno-infantil e, também, aumentar a rede sanitária, de modo que haja serviço de proximidade, envolvendo, exactamente, as comunidades", frisou.

Para o sector da Comunicação Social, o secretário de Estado, Nuno dos Anjos Caldas Albino, reconduzido nas funções, disse que vai dar continuidade ao programa do ciclo político anterior, com maior ênfase na valorização e dignificação dos quadros e profissionais da área.

Acrescentou que isto passa pela continuidade das acções de modernização técnica e tecnológica dos órgãos de Comunicação Social, melhorar a comunicação institucional pública do Executivo e do Governo. "Pretendemos olhar, com maior vigor e proeminência, para a questão da valorização e dignificação dos profissionais do sector, a fim de se assumir, sobretudo, uma comunicação de maior proximidade, mais abrangente e inclusiva. Desta forma, sublinhou, o Executivo assume uma governação de interacção com o cidadão.

O secretário de Estado para a Juventude, Francisco Boaventura Canjongo Chitapa, garantiu que vai ser prestada maior atenção à questão do emprego, habitação, formação académica e profissional, por serem das maiores preocupações dos jovens. "Vamos reforçar, também, o movimento associativo angolano, bem como desenvolver tarefas educativas e recreativas para a juventude", salientou. Ao todo, foram empossados 48 secretários de Estado.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política