Cultura

Prémio Revelação Literária: Candidaturas ao concurso estão abertas até Dezembro

As candidaturas à 10ª edição do prémio Revelação Literária União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa/Câmara Municipal de Lisboa encontram-se abertas e decorrem até Dezembro, anunciou o secretário-geral da UCCLA, Vítor Ramalho.

12/06/2024  Última atualização 09H51
Escritor angolano Hélder Simbad integra o júri do concurso © Fotografia por: Eduardo Pedro | Edições Novembro

O anúncio foi feito na noite de sexta-feira, durante o lançamento do livro "Cantagalo”, vencedor da 9ª edição do prémio Revelação Literária UCCLA-CMLisboa - Novos Talentos, Novas Obras em Língua Portuguesa, da brasileira Fernanda Teixeira Ribeiro, que aconteceu na Feira do Livro de Lisboa, no Parque Eduardo VII, que decorre de 29 de Maio a 16 deste mês.

"A partir de agora, encontram-se abertas as candidaturas ao prémio 2024-2025, até Dezembro de 2024”, afirmou Vítor Ramalho, tendo frisado que o livro "Cantagalo”, é uma obra que vai "marcar mais uma vez aquilo que é a UCCLA, ou seja, a língua portuguesa”.

A apresentação do livro foi feita por António Carlos Cortez e contou com a presença da autora Fernanda Teixeira Ribeiro, residente em São Paulo, a primeira mulher a vencer esse galardão, facto destacado pela própria, que também sublinhou o papel da língua portuguesa na união dos povos.

Esta edição teve também duas menções honrosas, sendo uma para a poesia "Chão de Saibro” do brasileiro Frederico da Cruz Vieira de Sousa, e ao romance "A Sintaxe da Guerra” do angolano Joaquim Njungo Jeremias.

Na nona edição, foram recebidas 168 candidaturas oriundas de 15 países, nomeadamente dos Países Africanos de Língua Portuguesa (PALOP), incluindo Cabo Verde com 11 candidaturas, Portugal, Senegal, Timor-Leste, Brasil, Alemanha, Polónia, Holanda, Reino Unido, Suíça e Israel.

Dos jurados, fizeram parte Germano Almeida (Cabo Verde), Domício Proença (Brasil), Hélder Simbad (Angola), Inocência Mata (São Tomé e Príncipe), José Pires Laranjeira (Portugal), Luís Carlos Patraquim (Moçambique), Luís Costa (Timor-Leste), Tony Tcheka (Guiné-Bissau), Yao Jing Ming (Macau), Rui Lourido (representante da UCCLA) e João Pinto de Sousa (representante do Movimento 800 Anos de Língua Portuguesa).

Os vencedores da 8ª edição do Prémio Revelação Literária UCCLA-CML foram o brasileiro André Bueno com a obra "Sentido Litoral” e o português Leonel Barbosa com a obra "Breviário de Medo e Malícia”.

Na 7ª edição, foram o brasileiro Alexandre Siloto Assine com o texto de poesia "Caligrafia”, e o português Ricardo Manuel Ferreira de Almeida com o romance "Três dias em Fevereiro”.

Quanto às obras vencedoras, em 2021 foi "O Sonho de Amadeu”, do brasileiro Leonardo Costa Oliveira, em 2020, "O Heterónimo de Pedra”, do português Henrique Reinaldo Castanheira, e em 2019, "Praças”, do português natural de Angola António Pedro Serrano de Sousa Correia.

Em 2018, "Equilíbrio Distante”, de Óscar Maldonado, de nacionalidade paraguaia, a residir em São Paulo, no Brasil, em 2017, "Diário de Cão” de Thiago Rodrigues Braga, de nacionalidade brasileira, natural de Corumbá, Goiás, Brasil, e em 2016, "Era uma vez um Homem” de João Nuno Azambuja, de nacionalidade portuguesa são outras das obras galardoadas com este prémio.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura