Mundo

Prémio Nobel da Paz defende a criação de tribunal especial

O médico congolês, Denis Mukwege, Premio Nobel da Paz 2018, apelou às Nações Unidas (ONU) para constituir uma comissão de inquérito e criar um Tribunal Penal Internacional sobre o Leste da República Democrática do Congo.

14/09/2021  Última atualização 08H55
Dennis Mukwege está inconformado com o terror na RDC © Fotografia por: DR
 Numa carta à ONU, a que a France Press teve acesso, ontem,  o também ginecologista defende o apoio à criação de câmaras especializadas para fazer justiça às vítimas dos crimes mais graves.
Dennis Mukwege é também conhecido como "reparador das mulheres”, pelo trabalho de recuperação que tem feito às mulheres violadas sexualmente por vários grupos rebeldes nas províncias do Ituri e do Kivu-Norte (Leste), não obstante o Estado de sítio decretado naquela região desde Maio de 2021.

Descrevendo a violência  no Kivu-Norte, Mukwege explica que apesar da presença dos capacetes azuis desde 1999, a violência contra as populações continua na região. "A segurança não melhora naquelas províncias, porque as matanças e as violações que provocaram a fuga de mais de cinco milhões de pessoas, segundo dados da ONU, continuam”, disse, considerando o estado actual das populações "uma situação trágica, escandalosa e insuportável”. Com a finalidade de restabelecer a paz na região , a 6 de Maio deste ano, o Presidente Félix Tshisekedi nomeou governadores militares e vice-governadores da Polícia para as províncias do Kivu-Norte e do Ituri, onde instaurou o Estado de sítio que já dura há quase cinco meses.
De acordo com o Barometro de segurança do do Kivu, 2020, o Leste da RDC contava com 122 grupos armados.
 


Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo