Gente

Pratos típicos confeccionados à moda e ao prazer da tia Lina

A professora universitária e vice-decana para os Assuntos Científicos e Pós-Graduação, pela Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Agostinho Neto (UAN), está a fazer furor na plataforma digital Instagram.

12/11/2022  Última atualização 06H40
© Fotografia por: DR

Tudo por conta das suas aulas de gastronomia. "Minhas sobrinhas, meus sobrinhos” é uma saudação usual, para quem fielmente acompanha as publicações da tia Lina na sua página do Instagram, sobre as aulas de culinária, pontualmente, às 12h00, aos domingos. Depois da missa, Maria Alberto ou simplesmente tia Lina como é carinhosamente tratada e a filha Elisandra Lima, têm sido, um exemplo a seguir. Tudo começou por causa da filha que é uma digital influencer. Há três anos que sugeriu à mãe que a ensinasse a cozinhar. Na "brincadeira”, os vídeos começaram a ter muitas visualizações e passado esse tempo, tia Lina tem hoje mais de 30 mil seguidores. Quando está em casa é a mulher e a dona de casa. A ideia é partilhar experiências na matéria com as novas gerações. Durante as transmissões em directo, tia Lina tem ensinado alguns truques de como preparar os pratos típicos da terra, onde se destacam a muteta com carne seca, rabo de boi com muamba de ginguba, n’saka madesu (kizaka com feijão) com peixe frito, cabidela de pato, galinha rija, cabrité, moamba de ginguba com tortulho e bagre fumado, catato, bacalhau assado, carne fumada com moamba de dendém, calulu e mariscos. Este ano, tia Lina recebeu o diploma do terceiro mestrado em Psicologia Forense Criminal, tendo já no seu palmarés o de Psicologia Social e o de Clínica.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Gente